Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Xiitas são acusados de crimes de guerra na luta contra o EI

Anistia Internacional diz que milícias que combatem ao lado do Exército do Iraque usam luta contra jihadistas como pretexto para perseguir civis sunitas

A Anistia Internacional acusou nesta terça-feira as milícias xiitas que combatem o avanço do Estado Islâmico (EI) no Iraque de cometer crimes de guerra contra civis sunitas. A ONG de defesa dos direitos humanos afirma que, em sua luta contra os jihadistas, o governo iraquiano apoia e arma combatentes xiitas que sequestram e matam civis da etnia rival.

Leia também:

ONU aponta fuga de milhares de pessoas após avanço do EI

EI tenta justificar o injustificável: a escravização de mulheres

Em uma estratégia no combate ao Estado Islâmico, que em junho conquistou amplas regiões no Iraque, o governo de Bagdá se aliou a milícias xiitas que, por diversas vezes, atuam ao lado do Exército regular iraquiano em batalhas contra os jihadistas.

A Anistia declara ter provas de que esses milicianos cometeram diversos assassinatos contra sunitas no Iraque. Segundo a ONG, os grupos armados xiitas também praticariam sequestros contra civis, exigindo dezenas de milhares de dólares de resgate a suas famílias. Para a Anistia, as milícias usam a luta contra o EI como pretexto para praticar vingança sectária contra os sunitas iraquianos.

“Ao dar seu aval a estas milícias que cometem sistematicamente tais abusos, o governo iraquiano dá seu apoio a crimes de guerra e alimenta um perigoso círculo de violência sectária”, declarou Donatella Rovera, conselheira da Anistia Internacional para situações de crise.

(Com agência France-Presse)