Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Vulcão no sul do Caribe entra em atividade e população é deslocada

Na quinta-feira, autoridades aumentaram o nível de alerta, após vários pequenos tremores detectados no La Soufrière, com nuvens de vapor saindo de seu pico

Por Da Redação Atualizado em 9 abr 2021, 17h02 - Publicado em 9 abr 2021, 11h37

Um vulcão no sul do Caribe que estava adormecido há décadas entrou em erupção nesta sexta-feira, lançando nuvens de cinzas e fumaça para o céu. Conhecido como La Soufrière, no extremo norte da ilha principal de São Vicente e Granadinas, começou a mostrar sinais de atividade no final de dezembro e entrou em “estado explosivo” pela manhã, de acordo com publicação da Organização Nacional de Gestão de Emergência no Twitter.

A agência de gerenciamento de emergências disse que as cinzas chegaram até o aeroporto internacional do país na parte sul da ilha – a mais de 19 quilômetros de distância – enquanto uma nuvem de cinzas havia se espalhado sobre o Oceano Atlântico. Vídeos registrados em Chateaubelair, uma cidade no sopé do vulcão, mostraram o céu escurecido pelas cinzas enquanto pessoas usando máscaras seguiam pelas ruas carregando seus pertences. Não houve relatos imediatos de vítimas da erupção.

Continua após a publicidade


Na quinta-feira, as autoridades aumentaram o nível de alerta, após vários pequenos tremores detectados no vulcão, com nuvens de vapor saindo de seu pico. O primeiro-ministro Ralph Gonsalves ordenou a evacuação total da área. “Todos os arranjos já começaram e o processo também”, disse Gonsalves em entrevista.

A última erupção do La Soufrière, em 1979, não causou fatalidades graças à evacuação de residentes para as praias locais. Na ocasião, as cinzas chegaram até Barbados, 160 quilômetros a leste. Uma erupção anterior, em 1902, matou quase 1.700 pessoas.

Em janeiro, autoridades do governo começaram a realizar ações de divulgação nas áreas mais próximas do vulcão, informando os residentes sobre os protocolos de evacuação em caso de erupção. O primeiro-ministro reconheceu, na época, os desafios de conduzir operações de emergência durante a pandemia, mas disse que protocolos de saúde rígidos – como o uso obrigatório de máscaras e distanciamento social sempre que possível – estariam em vigor durante as evacuações e nos abrigos.

São Vicente e Granadinas tem uma população de 110.000 habitantes, espalhados por três dezenas de ilhas. A maioria das pessoas mora nos arredores da capital, Kingstown, na costa sudoeste da ilha de São Vicente. Embora conhecido como um paraíso para os velejadores, o país também apresenta altos índices de pobreza e desemprego.

Continua após a publicidade
Publicidade