Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Vulcão Cumbre Vieja lança novo fluxo de lava e causa estragos nas Canárias

Erupção completa dois meses sem sinais de redução

Por Ernesto Neves Atualizado em 30 nov 2021, 18h57 - Publicado em 30 nov 2021, 19h07

Novos fluxos de lava do vulcão Cumbre Vieja, nas Ilhas Canárias, território pertencente à Espanha, voltaram a causar destruição nesta terça-feira (30). A erupção teve início em 19 de setembro, e o vulcão manteve-se expelindo lava continuamente desde então.

De acordo com o Instituto de Vulcanologia das Ilhas Canárias, o fluxo desceu montanha a uma velocidade de 1 metro por segundo, afetando um número grande de construções. 

Num trecho mais abaixo do vulcão, no lado oeste da ilha, próximo à costa da África, a lava continua a ameaçar os edifícios remanescentes da cidade de La Laguna, que foi evacuada há mais de um mês.

A principal igreja da cidade está agora a apenas um quilômetro do mais intenso fluxo de lava, segundo mostra um novo mapeamento divulgado pelo comitê de crise das Canárias nesta terça-feira.

A lava já chegou ao Atlântico em dois pontos distintos da costa oeste das Canárias, caindo de falésias sobre o oceano.

No total, a erupção adicionou à costa uma área equivalente a 48 campos de futebol em aterro.

Ao mesmo tempo, autoridades espanholas informaram que o vulcão destruiu uma extensão aproximada a 1.134 campos de futebol. Um terço dessa área eram terras agrícolas. Também foram atingidas 2.600 construções.

Mais de 6.000 moradores, de um total de 80.000 que moram na região, foram desalojados.

Lava já destruiu mais de 2.600 edifícios ao longo dos últimos dois meses
Lava já destruiu mais de 2.600 edifícios ao longo dos últimos dois meses Getty/Getty Images
Continua após a publicidade

Publicidade