Veja Digital - Plano para Democracia: R$ 1,00/mês

Vizcarra assume como presidente do Peru após saída de Kuczynski

O antigo presidente, porém, ameaçou desistir da renúncia se o Congresso peruano insistir em continuar o processo de impeachment

Por Da redação 23 mar 2018, 13h16

Martín Vizcarra assume, nesta sexta-feira, a presidência do Peru com o desafio de acabar com a crise política que resultou na saída abrupta de seu antecessor, Pedro Pablo Kuczynski.

Antes de dar posse a Vizcarra, até então vice-presidente e embaixador peruano no Canadá, o Congresso votará se aceita a renúncia de Kuczynzki ou se vota sua destituição, pela acusação de ter mentido sobre seus vínculos com a empresa brasileira Odebrecht.

Nesta sexta-feira, porém, Kuczynzki ameaçou desistir da renúncia se o Congresso não aceitar as condições propostas por ele para deixar o cargo, que inclui não dar continuidade ao processo de impeachment no qual estava sendo julgado.

“É inaceitável a proposta de Resolução Legislativa do Congresso que tenta apresentar como vacância (como o impeachment é chamado no Peru) a minha renúncia. Se seguir assim, retirarei minha carta [de renúncia] e me submeterei ao procedimento regular de vacância, exercendo meu direito de defesa”, afirmou.

Continua após a publicidade

Existe um precedente: no ano 2000, o Congresso destituiu Alberto Fujimori depois que ele enviou a carta de renúncia à presidência por fax do Japão, para onde fugiu em meio a um escândalo de corrupção.

“Os senhores porta-vozes (das bancadas) estão revisando a proposta de resolução final que será levada à votação a partir das 10h00 locais” (12h00 de Brasília), afirmou o presidente do Congresso, o opositor Luis Galarreta.

O Congresso debateu na quinta-feira a renúncia de Kuczynski em uma sessão que durou seis horas e durante a qual vários parlamentares chamaram PPK de “corrupto” e o criticaram pela falta de uma “autocrítica” ao anunciar a renúncia na quarta-feira.

Vizcarra comparecerá nesta sexta-feira ao Palácio de Torre Tagle, sede da Chancelaria, para seguir depois ao Congresso e tomar posse, de acordo com o protocolo.

O novo presidente, que acaba de completar 55 anos, retornou do Canadá durante a madrugada. Ele vai completar o mandato de Kuczynski, que termina em julho de 2021.

(Com AFP e EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Plano para Democracia

- R$ 1 por mês.

- Acesso ao conteúdo digital completo até o fim das eleições.

- Conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e acesso à edição digital da revista no app.

- Válido até 31/10/2022, sem renovação.

3 meses por R$ 3,00
( Pagamento Único )

Digital Completo



Acesso digital ilimitado aos conteúdos dos sites e apps da Veja e de todas publicações Abril: Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Placar, Superinteressante,
Quatro Rodas, Você SA e Você RH.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)