Clique e assine com até 92% de desconto

Visita do presidente russo a ilhas disputadas com Japão gera crise entre países

Medvedev desembarcou nesta segunda-feira nas ilhas Kuril; ministro japonês convocou embaixador russo para esclarecimentos

Por Da Redação 1 nov 2010, 16h12

A visita do presidente russo, Dmitri Medvedev, a uma ilha disputada por Rússia e Japão provocou uma crise diplomática bilateral. O ministro japonês das Relações Exteriores, Seiji Maehara, convocou nesta segunda-feira o embaixador russo em Tóquio para protestar sobre o fato, enquanto Dedvedev segue seu roteiro de viagem normalmente. Maehara afirmou que a a visita de Medvedev “fere os sentimentos da população japonesa”.

O presidenre russo desembarcou nesta segunda-feira na ilha Kunashir (Kunashiri para os japoneses), uma das quatro ilhas que a Rússia chama de Kuril do Sul, mas que para o Japão têm o nome de Territórios do Norte. As ilhas Kuril são administradas por Moscou, mas reivindicadas por Tóquio. De acordo com o governo, o chefe de Estado russo visitará uma estação geotérmica, se reunirá com moradores e vai inspecionar obras em construção.

Esta é a primeira vez desde 1945 que um chefe de estado russo visita este grupo de ilhas, que vai da península russa de Kamchatka, no extremo norte do país, à grande ilha japonesa de Hokkaido. O embaixador da Rússia se defendeu: “Eu disse que se tratava de uma questão interna russa. Pedi que o Japão trate este assunto de modo calmo e equitativo”, disse Mikhail Bely.

Já o primeiro-ministro japonês, Naoto Kan, qualificou de lamentável a visita. “A posição do Japão é de que as quatro ilhas dos Territórios do Norte são parte do território japonês, a visita do presidente é muito lamentável”, disse Kan no Parlamento.

Disputa – Moscou e Tóquio têm uma divergência sobre as quatro ilhas do arquipélago Kuril desde que elas foram anexadas pelos soviéticos, em 18 de agosto de 1945, três dias após o anúncio da rendição japonesa na II Guerra Mundial. O Japão conhece as ilhas como Habomai, Shikotan, Etorofu e Kunashiri, enquanto a Rússia batiza Etorofu de Iturup e Kunashiri de Kunashir. A divergência impede há 65 anos a assinatura de um tratado de paz entre os dois países. As negociações, retomadas após o fim da União Soviética em 1991, continuam sem resultados.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade