Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vídeo exibe tratamento desumano recebido por imigrantes na Hungria

Com cercas e reforço policial a Hungria tenta impedir a entrada de refugiados em suas fronteiras. Apesar das ações, 3.601 pessoas entraram na quinta, um novo recorde

Um vídeo gravado [confira abaixo] dentro do maior campo de imigrantes na Hungria, na fronteira com a Sérvia, mostra as condições desumanas da distribuição de alimentos. O vídeo, filmado de maneira sigilosa por uma voluntária austríaca que trabalhou na quarta-feira no campo de Roszke, mostra 150 imigrantes dentro de um cercado em um grande salão. Eles tentam desesperadamente pegar os sanduíches lançados por policiais húngaros, que usam capacetes e máscaras.

Entre a multidão estão mulheres e crianças, que tentam segurar os sanduíches jogados no local, enquanto as pessoas que estão mais ao fundo tentam chamar a atenção das pessoas que distribuem comida. “Era como alimentar animais presos em um cercado”, declarou Klaus Kufner, amigo de Michael Spritzendorfer, a voluntária que registrou as cenas, divulgadas no Youtube. Os dois, ao lado de outros voluntários, seguiram para o acampamento para levar comida, roupa e medicamentos. “Era desumano e caótico, mas isto também mostra algo sobre estas pessoas, que não brigaram pela comida, embora estivessem com fome”, disse Spritzendorfer.

Leia também

EUA se preparam para admitir pelo menos 10 mil refugiados sírios no próximo ano

Alemanha recebeu quase 450.000 refugiados desde janeiro

Comissão Europeia quer redistribuir 160 mil imigrantes entre países da UE

Na terça-feira, a Agência da ONU para os refugiados criticou as duras condições no campo de Roszke, enquanto a Hungria tenta administrar o fluxo recorde de refugiados que atravessam suas fronteiras como parte da arriscada viagem para a Europa ocidental. O governo conservador húngaro concluiu em agosto uma cerca de arame ao longo da fronteira de 175 km com a Sérvia, mas isto não parece representar um obstáculo para a chegada dos imigrantes.

​Uma nova barreira, de quatro metros de altura, está sendo construída e deve ser concluída no fim de outubro ou início de novembro. Budapeste anunciou nesta sexta-feira que mobilizará até 3.800 soldados para reforçar a barreira anti-imigrantes na fronteira com a Sérvia. De acordo com o novo ministro da Defesa, Istvan Simicsko, a prioridade é construir a barreira. Apesar das medidas para impedir a chegada de refugiados, 3.601 imigrantes conseguiram entrar no país na quinta-feira, um novo recorde, segundo a polícia.

(Da redação)

Vídeo: Caótica distribuição de comida no campo de Roszke