Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Venezuela: polícia prende líderes da oposição durante a madrugada

Leopoldo López e Antonio Ledezma estavam em regime de prisão domiciliar quando foram levados

Por Da redação Atualizado em 1 ago 2017, 11h04 - Publicado em 1 ago 2017, 07h51

O Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin) da Venezuela voltou a deter na madrugada desta terça-feira os políticos opositores Leopoldo López e Antonio Ledezma, afirmaram familiares dos dois dirigentes. Os dois estavam em regime de prisão domiciliar.

“Acabam de levar Leopoldo de casa. Não sabemos onde ele está nem para onde o levaram. (Nicolás) Maduro é responsável se algo lhe acontecer”, escreveu Lilian Tintori, a esposa de López, no Twitter.

  • O deputado Richard Blanco, coordenador do partido Alianza Bravo Pueblo (ABP), também tuitou que o Sebin também levou o prefeito Ledezma nesta madrugada.

    Alguns dirigentes do Vontade Popular (VP), o partido de López, bem como do ABP, a legenda de Ledezma, reiteraram essas informações, responsabilizaram o presidente Nicolás Maduro pela integridade física de ambos e asseguraram desconhecer o local para onde eles foram levados.

    Vários representantes da coalizão opositora Mesa da Unidade Democrática (MUD) divulgaram no Twitter um vídeo que mostra Ledezma sendo retirado de sua residência, onde estava em regime de prisão domiciliar desde 2015, por funcionários do Sebin.

    López cumpria prisão domiciliar desde 8 de julho.

    Ledezma foi detido em fevereiro de 2015 acusado de conspiração e formação de quadrilha e, após dois meses na prisão militar de Ramo Verde, recebeu uma medida cautelar e, por motivos de saúde, passou a cumprir a pena em sua residência. Quase dois anos e meio após sua detenção, Ledezma ainda não foi condenado.

    López, por sua vez, passou mais de três anos na mesma prisão e seus advogados denunciaram que ele foi torturado em várias ocasiões.

    (Com EFE)

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade