Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Venezuela é o país mais corrupto da América Latina, segundo ONG

O país ocupa a 166ª posição entre 176 países no ranking da organização Transparência Internacional

Por Da redação Atualizado em 27 jan 2017, 14h31 - Publicado em 26 jan 2017, 16h43

A Venezuela é o país mais corrupto da América Latina e está entre os dez mais corruptos do mundo, segundo a ONG Transparência Internacional.

O país ocupa a 166ª posição em um ranking de 176 países, e está apenas mais bem posicionado que Guiné-Bissau, Afeganistão, Líbia, Sudão, Iêmen, Síria, Coreia do Norte, Sudão do Sul e, a nação na pior posição, a Somália.

O país governado por Nicolás Maduro teve avaliação pior do que a do Haiti (159ª) e da Guatemala (136ª). O Brasil aparece na 79ª posição entre as nações mais corruptas do mundo.

No continente latino, o país mais bem avaliado é o Uruguai, que aparece na 21ª colocação, seguido por Chile (24ª), Costa Rica (41ª) e Cuba (60ª). De acordo com o ranking, há um empate entre Nova Zelândia e Dinamarca no topo da tabela dos menos corruptos.

Continua após a publicidade

Diálogo

Nesta quinta-feira, a oposição venezuelana rompeu o diálogo com o governo de Nicolás Maduro, iniciado no dia 30 de outubro com a mediação da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e o Vaticano, que visava a acabar com a crise política no país. A aliança de oposição Mesa da Unidade Democrática (MUD) apresentará uma proposta para estabelecer um novo processo de diálogo com o governo, que incluirá um novo formato e novos mediadores.

As fontes explicaram que a MUD encerrou o diálogo, até então acompanhado pelos ex-presidentes Martín Torrijos (Panamá), Leonel Fernández (República Dominicana) e José Luis Rodríguez Zapatero (Espanha), por falta de compromisso por parte dos governistas.

“O experimento de diálogo que foi levado adiante na Venezuela entre 30 de outubro e 6 de dezembro do ano passado é um capítulo fechado e não haverá uma segunda parte”, informou em nota o MUD.

A aliança opositora não conseguiu consenso sobre o plano de trabalho proposto pelos mediadores há uma semana para relançar as conversas depois que a MUD acusou o governo de ter descumprido os acordos firmados nas duas únicas plenárias realizadas.

(Com agências ANSA e EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo da VEJA! Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.

a partir de R$ 39,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet.

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Edições da Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 19,90/mês