Clique e assine com até 92% de desconto

Venezuela convoca seu embaixador na Espanha

Medida ocorre após premiê espanhol se encontrar com esposa de opositor preso

Por Da Redação 28 out 2014, 20h32

A Venezuela decidiu chamar seu embaixador na Espanha para consultas. A medida ocorre dias após o primeiro-ministro espanhol Mariano Rajoy se reunir com Lilian Tintori, mulher do opositor venezuelano Leopoldo López, preso há oito meses.

Na última sexta-feira, o presidente venezuelano Nicolás Maduro já havia anunciado que tinha ordenado ao Ministerio das Relações Exteriores “uma revisão global” das relações com a Espanha. Na ocasião, Maduro havia ficado furioso com as declarações do premiê que, segundo a imprensa espanhola, expressou para Tintori sua preocupação com a situação de López e a transparência do julgamento do opositor por incitação à violência. A prisão de López, dirigente do partido Vontade Popular, ocorreu em fevereiro, após as autoridades venezuelanas o terem responsabilizado por mortes que ocorreram nas manifestações.

Leia também:

“Oposição não pode dialogar enquanto dirigentes estão presos”, diz secretário da OEA

Tradição de misses está em risco na Venezuela; falta silicone

Venezuela limita compras em supermercados privados

Segundo Maduro, a atitude de Rajoy foi um ato “hostil, de ingerência e de apoio aos grupos de extrema-direita que exercem a violência na Venezuela”.

“Temos que nos fazer respeitar, porque nos veem como menores. Rajoy acredita que ele é rei, ainda, e dono da América e que nós temos que obedecê-lo”, disse Maduro.

Esta é a segunda vez desde que Maduro chegou à presidência que a Venezuela convoca seu embaixador na Espanha. O governo já havia tomado a mesma atitude em abril de 2013, depois que as autoridades espanholas demoraram a reconhecer a vitória de Maduro nas eleições presidenciais que ocorreram pouco antes e Madri ter defendido uma “apuração eleitoral” na contagem dos votos. As relações entre os dois países são tensas há anos. O antecessor de Maduro, Hugo Chávez, também se envolveu em diversos atritos com o reino europeu. No mais célebre deles, em 2007, o então rei espanhol Juan Carlos disse “Por que não te calas?” para o governante bolivariano durante durante a XVII Conferência Ibero-Americana.

Continua após a publicidade
Publicidade