Clique e assine a partir de 9,90/mês

Velório de Hugo Chavéz ficará aberto ao público até sábado

Trajeto de oito quilômetros até o velório, na Academia Militar, durou sete horas

Por Da Redação - 6 mar 2013, 22h29

O longo cortejo fúnebre a Hugo Chavéz, morto nesta terça-feira, chegou a seu destino depois de 7 horas. Iniciado às 11 horas, no horário local da Venezuela, a caminhada de oito quilômetros entre o Hospital Militar e a Academia Militar foi encabeçada pelo agora presidente Nicolás Maduro, que teve a companhia do presidente boliviano, Evo Morales.

Ao chegar, ocorreu um padre celebrou uma cerimônia privada para a mãe, filhos e netos de Chávez no Salão de Honra. Em seguida, o caixão foi levado ao Pátio de Honra, espaço amplo e policiado para que o público tenha a chance de se despedir. O corpo será velado até sábado, de acordo com o chanceler venezuelano, Elías Jaua. O local do enterro ainda não foi confirmado.

Leia também:

Leia também: Com ausência de Chávez, discurso bolivariano perde força

Continua após a publicidade

O caixão do caudilho coberto com uma bandeira do país foi seguido por milhares de venezuelanos. Muitos pediam que Chávez seja enterrado ao lado de Símon Bolívar. Ao longo do cortejo, uma entrevista feita com Chávez pelo ex-vice-presidente José Vicente Rangel foi retransmitida

Estão presentes em Caracas para o funeral a presidente Cristina Kirchner, da Argentina, e chefe de Estado uruguaio, Pepe Mujica. Outros presidentes da América Latina são esperados. Dilma vai embarcar para a Venezuela nesta quinta-feira.

Leia também:

Leia também: Mercados analisam economia venezuelana sem Chávez

Continua após a publicidade

Restrições – O luto oficial foi decretado pelos próximos sete dias no país, impedindo a realização de qualquer festividade. Além disso, o governo venezuelano instituiu lei seca no país até 12 de março. De acordo com o jornal venezuelano El Universal, está proibido distribuição, compra e consumo de bebidas alcoólicas, como parte das medidas para manter a integridade física das pessoas e a ordem interna durante as cerimônias fúnebres. O governo também ordenou a suspensão temporária da permissão de porte de armas de fogo.

Publicidade