Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vários estados da Venezuela estão há 40 horas sem energia elétrica

Alguns pontos da capital Caracas tiveram o fornecimento de luz reestabelecido; o governo de Nicolás Maduro justifica o apagão como sabotagem da oposição

O serviço de energia elétrica foi restabelecido neste sábado em várias zonas de Caracas, depois do blecaute que começou na tarde de quinta-feira, enquanto alguns bairros da capital da Venezuela e mais da metade do país estão há 40 horas sem luz. A agência de notícias EFE constatou que em algumas zonas do leste e do oeste de Caracas a energia elétrica foi reativada durante a madrugada, enquanto testemunhas informaram sobre a continuidade do blecaute em outras comunidades ao longo dos 23 estados do país.

Nos locais da capital venezuelana onde a eletricidade já voltou, foram reativados os semáforos e poucos comércios abriram as suas portas, mas o metrô de Caracas continua fechado à espera da normalização do fornecimento de energia. As telefonias residencial e móvel seguem afetada e só é possível concretizar algumas chamadas de curta distância após várias tentativas fracassadas. A modalidade de pagamentos online ainda não foi normalizada devido a falhas na conexão com a internet e, por essa razão, os comércios operacionais estão aceitando apenas dinheiro em espécie.

O blecaute completou neste sábado 40 horas ininterruptas em estados como Trujillo, Zulia, Táchira, Anzoátegui, Mérida, Lara, Monagas; informaram autoridades regionais e meios locais através das redes sociais. O líder venezuelano, Nicolás Maduro, não fez declarações públicas desde que aconteceu a falha enegértica, mas publicou várias mensagens na rede social Twitter onde responsabilizou reiteradamente por estes fatos o Governo dos Estados Unidos, ao qual culpa por quase todos os problemas do país.

“O império dos EUA, mais uma vez, subestima a consciência e determinação do povo venezuelano. Asseguro que a cada tentativa de agressão imperial, encontrará uma resposta contundente das e dos patriotas que amamos e defendemos, com coragem, a nossa Pátria”, escreveu hoje sábado o ditador bolivariano. O Governo assegurou que o blecaute se deve a uma “sabotagem” na principal hidrelétrica do país, completamente em mãos do Estado, e responsabilizou à oposição venezuelana pelo ocorrido.

Guaidó convoca protestos em Caracas – Diante da situação, o autoproclamado presidente venezuelano Juan Guaidó insistiu que todos participem na manifestação que ele já havia convocado para este sábado. “Venezuela, agora com mais força do que nunca, volta às ruas de todo o país. Vamos voltar às ruas e não sair mais”, escreveu Guaidó nas redes sociais. “Hoje ainda se desculpam os sem-vergonha alegando que isto é uma sabotagem, quando em 2009 declararam emergência elétrica. Há uma década! Uma década! Investiram 100 bilhões de dólares (…). São ineficientes, são corruptos”, disse Guaidó, reafirmando seu apelo às Forças Armadas para remover Maduro.

(com Agências EFE e AFP)