Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Uso de máscaras será opcional na Inglaterra, diz secretário

Novas medidas estão previstas para entrar em voga a partir de 19 de julho; cientistas alertam dizendo que o país pode se tornar "fábrica de variantes"

Por Redação
Atualizado em 4 jul 2021, 11h52 - Publicado em 4 jul 2021, 11h26

O secretário da comunicação do Reino Unido, Robert Jenrick, um dos braços-direitos do primeiro-ministro Boris Johnson, afirmou em entrevista à BBC que o uso de máscaras será de “responsabilidade pessoal” de cada cidadão. A fala é um vislumbre do anúncio previsto para o dia 19 de julho, no qual o governo irá divulgar mudanças nos protocolos criados para conter a pandemia. O secretário afirmou confiar no “bom julgamento” da população. “Pessoas terão opiniões diferentes sobre o uso da máscara”, diz ele, que já afirmou ser um dos que vai parar de usar o acessório de proteção.

Recentemente, a Inglaterra viu o número de casos de Covid-19 subir – e espera-se que aumente ainda mais com a reabertura de casas noturnas. O secretário de saúde, Sajid Javid, é um dos responsáveis pelas medidas de flexibilização, afirmando que o governo terá de encontrar “formas de lidar” com a doença, como o faz com a gripe, já que não vê uma maneira de a Covid-19 ser totalmente eliminada do país. Segundo ele, as restrições elevaram os casos de violência doméstica e de problemas com a saúde mental.

A ação foi vista como temerária por cientistas do país, que chamaram a Inglaterra de futura “fábrica de variantes”. “É assustador ter um secretário da saúde que ainda pensa que a Covid é só uma gripe. Que não se importa com os níveis de infecção. Que não entende que o que é bom para a saúde é bom para a economia. Que quer tirar as proteções enquanto apenas metade da população está vacinada”, disse Stephen Reicher, professor universitário e membro do subcomitê de aconselhamento em casos de emergências sanitárias.

Os demais países do Reino Unido – Escócia, Gales e Irlanda do Norte – são autônomos em relação aos protocolos da pandemia. Na Escócia, por exemplo, espera-se que o uso da máscara ainda seja obrigatório em transportes públicos e lojas. Até o momento, 50% da população do Reino Unido está totalmente vacinada com duas doses dos imunizantes.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.