Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Uruguai: Tabaré Vázquez será candidato a suceder Mujica

O ex-presidente uruguaio, que governou de 2005 a 2010, vai disputar o cargo com o deputado Luis Lacalle Pou e o senador Pedro Bordaberry

O ex-presidente Tabaré Vázquez, que governou de 2005 a 2010, o deputado Luis Lacalle Pou e o senador Pedro Bordaberry serão os principais candidatos à sucessão do presidente José Mujica nas eleições de outubro no Uruguai, segundo pesquisas de boca de urna realizadas após as primárias que ocorreram neste domingo.

Leia também:

Mujica regulamenta mercado de maconha no Uruguai

Na esquerdista Frente Ampla (FA), que está no poder desde 2005, Vázquez, de 74 anos, obteve 83% dos votos conta 17% da senadora Constanza Moreira, segundo as consultorias Factum e Cifra.

No opositor Partido Nacional, onde se esperava um resultado mais apertado, a surpresa correu por conta do deputado Luis Lacalle Pou, de 40 anos, que se lançou na disputa pela primeira vez. Filho do ex-presidente Luis Alberto Lacalle (1990-1995) ele teria obtido 54% das adesões, segundo a Factum, e 55% segundo a Cifra, contra 46% ou 45% para o senador Jorge Larrañaga, que já foi candidato a presidente em 2004, quando foi derrotado por Vázquez.

Sem surpresas, no também opositor Partido Colorado, o senador Pedro Bordaberry, de 54 anos, se tornou o escolhido para disputar a presidência pela segunda vez consecutiva. Ministro do Turismo do governo de Jorge Batlle (2000-2005), o legisltador é filho do ex-ditador Juan María Bordaberry, condenado em 2010 por crimes durante a ditadura (1973-1985) e falecido em 2011. A Factum lhe atribuiu 74% das adesões e a Cifra, 78%, contra 25% e 22% para o senador José Amorín Batlle.

Em primárias na qual o voto não é obrigatório, as consultorias estimaram que apenas 38% dos habilitados a votar o fizeram, o que representa a menor participação desde que se celebra esta eleição. O Uruguai celebrará eleições presidenciais em outubro. Se nenhum dos candidatos obtiver 50% mais um dos votos, será realizado um segundo turno um mês depois.

(Com agência France-Presse)