Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Uribe considera deploráveis comentários de Lula sobre crise com a Venezuela

O presidente da Colômbia criticou o posicionamento do presidente brasileiro

O presidente colombiano Álvaro Uribe condenou as declarações do presidente Lula sobre a ruptura das relações de seu país com a Venezuela. Em nota, Uribe condenou o fato de Lula “referir-se à nossa situação com a República Bolivariana da Venezuela como se fosse um caso de assuntos pessoais, ignorando a ameaça que a presença dos terroristas das Farc nesse país representa para a Colômbia e para o continente”.

“O presidente Lula desconhece nosso esforço para buscar soluções através do diálogo. Repetimos com todo respeito ao presidente Lula e ao governo brasileiro que a única solução que a Colômbia aceita é que não se permita a presença dos terroristas das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) e do ELN (Exército de Libertação Nacional) em território venezuelano”, completou o comunicado.

As críticas de Uribe referem-se às declarações de Lula durante encontro com o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, nesta quarta-feira. Durante a reunião, o presidente brasileiro disse que pretende conversar com Hugo Chávez e Juan Manuel Santos, presidente eleito da Colômbia, sobre a crise entre os dois governos. “Ainda não vi conflito. Eu vi conflito verbal, que é o que nós ouvimos mais aqui nessa América Latina”, afirmou.

Lula garantiu ainda que participará, em 6 de agosto, de uma reunião bilateral com Hugo Chávez e que, em seguida, seguirá à Colômbia para a posse de Santos. “Temos de restabelecer a normalidade nas relações entre Venezuela e Colômbia, porque são dois países importantes para nós da América do Sul”, concluiu.

A Colômbia denunciou diante da Organização dos Estados Americanos (OEA) que na Venezuela estão escondidos em torno de 1.500 guerrilheiros colombianos. A acusação, negada por Caracas, provocou a decisão de romper relações no último dia 22 de julho.

Unasul – Nesta quinta-feira, ocorre em Quito uma reunião extraordinária de chanceleres da União Sul-Americana das Nações (Unasul) para tentar mediar a crise entre Venezuela e Colômbia.

A Venezuela adiantou que apresentará nesse encontro uma proposta de paz para a Colômbia, plano rejeitado pelo governo de Uribe, que pede a formulação de um mecanismo de verificação sobre suas denúncias da suposta presença das Farc e do ELN em território venezuelano.

(Com AFP)