Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Unesco suspende programas após corte dos EUA

Americanos cancelaram financiamento devido à adesão palestina à agência

Por Da Redação 10 nov 2011, 14h29

A diretora-geral da Unesco, a agência da ONU para a Educação, a Ciência e a Cultura, Irina Bokova, anunciou nesta quinta-feira a suspensão da execução de seus programas até o final do ano após a retirada de ajuda financeira por parte dos Estados Unidos. O governo americano suspendeu o financiamento à Unesco em retaliação à admissão da Autoridade Nacional Palestina (ANP) como membro de pleno direito da agência. Israel também suspendeu a ajuda financeira.

Entenda o caso

  1. • Diante do fracasso do acordo de paz com Israel, a Autoridade Nacional Palestina decidiu propor à Assembleia Geral da ONU votação a favor da criação de um estado palestino nas fronteiras antes de 1967, tendo Jerusalém Oriental como capital.
  2. • As negociações de paz entre israelenses e palestinos chegaram a ensaiar um retorno, por intermédio dos Estados Unidos, que defendem que só é possível criar um estado palestino realmente significativo a partir da retomada do diálogo – empacado diante da recusa israelense de parar assentamentos judeus em territórios palestinos ocupados.


Os Estados Unidos bancam 22% do orçamento regular bianual desta organização, que chega a 653 milhões de dólares. Em novembro, o governo americano destinaria à Unesco cerca de 60 milhões de dólares.

A medida de cancelar os programas até o final do ano vai ajudar em uma economia de 35 milhões de dólares. Com o uso de 30 milhões de dólares do capital de giro, a Unesco vai preencher este ano o déficit de caixa estimado em 65 milhões de dólares, afirmou Irina no encerramento da conferência geral da organização, em Paris.

A ANP quer o reconhecimento pleno do estado palestino na ONU. Porém, para isso, os palestinos precisam do apoio do Conselho de Segurança da ONU, que dará seu parecer em ainda em novembro. Não o terão: os Estados Unidos já avisaram que irão vetar sua admissão enquanto não houver acordo de paz com Israel. Sem contar com ONU, a ANP tenta o reconhecimento das agências ligadas à instituição, como a Unesco.

(Com agência France-Presse)

Continua após a publicidade
Publicidade