Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Uma brisa real na tarde nova-iorquina

Presença da Rainha Elizabeth II em Nova York foi um golpe de magia no calor modorrento da cidade

Por The New York Times 7 jul 2010, 15h34

A rainha Elizabeth II em solo americano é uma raridade e sua presença atraiu a atenção e emoção de uma cidade inteira

Sua majestade passou por Nova York no começo da tarde de terça-feira e foi embora no comecinho da noite, numa concisa e tantalizante visita real. Não foi a “rainha por um dia”, mas cinco horas de sua presença ativa, no entanto, foi um golpe de magia no calor modorrento da cidade.

A rainha Elizabeth II conversa com familiares de vítimas do 11 de setembro, em Nova York
A rainha Elizabeth II conversa com familiares de vítimas do 11 de setembro, em Nova York VEJA

A rainha Elizabeth II em solo americano é uma raridade, e sua presença atraiu a atenção e emoção de uma cidade e revigorou o civismo da cidade. Em sua terceira visita a Nova York, a rainha de 84 anos, acompanhada por seu marido, o príncipe Philip, de 89 anos, fez três paradas. Discursou na Assembléia Geral das Nações Unidas e depois fez excursões a uma homenagem no Marco Zero e a um jardim na Hanover Square, no distrito financeiro, para lembrar as vítimas britânicas que morreram no 11 de Setembro.

Em suas visitas anteriores – em 1957 e 1976 – ela ficou por mais tempo e foi bem mais visível. Subiu numa balsa na primeira e fez compras na Bloomingdale’s na segunda. Mas na terça-feira, as oportunidades de vê-la foram escassas e seus movimentos precisos não foram revelados ao público. Os nova-iorquinos sofreram para conseguir ao menos um vislumbre de Sua Majestade.

Continua após a publicidade
Publicidade