Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Um terço dos eleitores da Flórida votou antecipadamente este ano

Mais de 4 milhões de eleitores registrados no importante swing-state já votaram no substituto de Barack Obama

As autoridades da Flórida, nos Estados Unidos, informaram nesta terça-feira que 33% do eleitorado do Estado, que é composto por 12 milhões de eleitores registrados, já exerceu seu direito ao voto por correio ou de maneira antecipada para presidente. Conforme permite a legislação americana, os eleitores dos EUA podem votar pelo correio ou pessoalmente de forma antecipada.

Segundo as estatísticas do Departamento Eleitoral da Flórida, mais de 4 milhões de eleitores registrados no Estado já votaram de maneira antecipada (2.023.002) ou por correio (2.054.519).

Nas últimas eleições presidenciais dos EUA, realizadas em 2012, a participação foi de 72%, com um total de 8.474.179 eleitores, por isso os 4.077.521 que já exerceram seu direito de maneira antecipada neste pleito representam cerca de metade dos eleitores da última votação.

Entre os eleitores que optaram pela denominada votação antecipada, 783.416 são filiados ao Partido Republicano, enquanto 839.572 são democratas, 353.397 são independentes ou não filiados a nenhum partido e 46.617 estão sob a designação de “outro”.

O voto por correio mostra uma ligeira vantagem republicana, com 865.187 cédulas contabilizadas, enquanto os democratas somam 793.105 votos e os não filiados a nenhum partido um total de 344.385. Os outros 51.842 não estão especificados.

No total, 1.648.603 eleitores registrados como republicanos já votaram, enquanto o número de democratas é de 1.632.677, o que mostra o quão apertada está a disputa.

A uma semana do pleito, a candidata democrata, Hillary Clinton, e seu rival republicano, Donald Trump, mantêm uma ferrenha disputa política pela vitória em Estados-pêndulos (‘swing states’) como a Flórida, que fornece 29 votos de representantes no colégio eleitoral.

Após Hillary manter uma clara superioridade nas pesquisas na Flórida nas últimas semanas, um levantamento divulgado ontem pelo instituto de pesquisas Remington mostra que Trump virou o jogo no Estado.

Essa vantagem de Trump pode ter relação com a notícia veiculada na última sexta-feira de que o FBI, a polícia federal americana, está investigando novos documentos relacionados com o uso de um servidor de e-mail privado por parte de Hillary quando ela era titular do Departamento de Estado.

Dada a importância que teria um triunfo na Flórida, que deixaria Trump praticamente sem opções de chegar à Casa Branca, a candidata democrata tem previstos para esta terça-feira três eventos de campanha na Flórida, em Dade City, Sanford e Fort Lauderdale.

Nesta reta final de campanha, o próprio presidente Barack Obama viajará na próxima quinta-feira a Miami e Jacksonville para reiterar seu apoio a Hillary.

Trump, por sua vez, fará na quarta-feira comícios em Miami, Orlando e Pensacola, e outro em Jacksonville na quinta-feira, o mesmo dia em que Obama comparecerá a esta cidade para o evento da campanha democrata.

(Com EFE)