Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Última estátua de Francisco Franco em solo espanhol é removida

Localizada na cidade autônoma de Melilla, no Norte de África, a obra de Enrique Novo Álvarez foi erigida em 1978, três anos após a morte do ditador

Por Alessandro Giannini 23 fev 2021, 19h25

A última estátua do ditador Francisco Franco que restava em solo espanhol foi removida nesta terça-feira, 23. Um dia após a Assembleia de Melilla aprovar a retirada do monumento, funcionários da Cidade Autônoma, no Norte da África, tiraram-na do pedestal onde ficava.

A decisão foi aprovada na segunda-feira por 14 votos contra um, além de dez abstenções. Apenas o partido de extrema direita Vox votou contra a medida, argumentando que a estátua celebrava o papel militar de Franco e não sua ditadura, de modo que a Lei da Memória Histórica, um estatuto de 2007 que pede a remoção de todos os símbolos ligados ao regime de Franco, não deve ser aplicada.

Criada pelo escultor Enrique Novo Álvarez, a estátua foi erguida em homenagem a Francisco Franco. Comemorava seu papel como comandante da Legião Espanhola na Guerra do Rif, em 1921, um conflito travado pela Espanha e pela França contra as tribos berberes da região montanhosa no Marrocos.

O monumento foi instalado em 1978, três anos após a morte do ditador, e não passou sem polêmica. Em 2005, mudou-se do local onde se encontrava inicialmente, o Paseo del General Macías, devido a algumas obras, embora tenha sido realocado dias depois ao pé da Muralha Florentina. Desta vez, a retirada será permanente.

“Este é um dia histórico para Melilla”, disse Elena Fernandez Trevino, responsável pela educação e cultura no enclave, na segunda-feira, depois que a assembleia local votou pela derrubada da estátua, apontando que era “a única estátua dedicada a um ditador ainda na esfera pública na Europa”.

Continua após a publicidade
Publicidade