Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

UE condena golpe em Mali e pede a volta da ordem constitucional

Por Da Redação 22 mar 2012, 06h44

Bruxelas, 22 mar (EFE).- A União Europeia (UE) condenou nesta quinta-feira o golpe militar em Mali e reivindicou o retorno da ordem constitucional o mais rapidamente possível.

‘Condenamos a tomada do poder pelos militares e a suspensão da Constituição’, disse em uma breve declaração o porta-voz de Catherine Ashton, a chefe da diplomacia comunitária.

Segundo a UE, o poder constitucional deve restabelecer-se ‘assim que for possível’, além de serem preservadas ‘em toda circunstância’ a segurança e a liberdade do povo de Mali.

O bloco europeu deve fazer pública uma reação oficial à situação no país africano nas próximas horas, segundo explicou o porta-voz de Ashton, Michael Mann.

Os militares malineses amotinados, que tomaram ontem a sede da rádio e da televisão estatais na capital, Bamaco, anunciaram hoje a dissolução de todas as instituições do Estado e a suspensão da Constituição.

Os amotinados justificaram sua ação em particular pela incapacidade do Governo para solucionar a crise no norte do país, onde o grupo independentista tuaregue Movimento Nacional de Libertação de Azawad (MNLA) pegou em armas em janeiro.

Além disso, acusam o Governo de ser incapaz de fazer frente ao terrorismo e de não poder dotar o Exército dos meios suficientes para desenvolver seu trabalho.

O norte de Mali, cuja independência é reivindicada pelo MNLA, é também um dos principais redutos na região do grupo terrorista Al Qaeda no Magrebe Islâmico (AQMI). EFE

Continua após a publicidade

Publicidade