Clique e assine a partir de 9,90/mês

UE cobrará taxa de € 5 de estrangeiros, inclusive dos brasileiros

A principal meta da União Europeia é aumentar o controle em suas fronteiras externas e reforçar a luta contra o terrorismo e a imigração clandestina

Por Da redação - 18 nov 2016, 07h51

A União Europeia (UE) anunciou nesta quinta-feira que cidadãos extracomunitários — inclusive brasileiros — que entrarem em suas fronteiras precisarão pagar uma taxa de cinco euros, algo em torno de 18 reais, de acordo com a cotação atual. A medida faz parte do novo Sistema Europeu de Informação e Autorização de Viagem (Etias, na sigla em inglês), que valerá para todos os estrangeiros que não precisam de visto para acessar o Espaço Schengen, área de livre circulação dentro do bloco.

A principal meta da União Europeia é aumentar o controle em suas fronteiras externas e reforçar a luta contra o terrorismo e a imigração clandestina, dois dos principais desafios enfrentados por Bruxelas atualmente. Ainda antes de embarcar para países da UE, a pessoa precisará preencher um formulário on-line com informações particulares e pagar a taxa de cinco euros. O questionário terá 27 perguntas, divididas em quatro ou cinco categorias, como grau de escolaridade e emprego.

Leia também
Britânica é presa após denunciar estupro coletivo em Dubai
Comerciante venezuelano usa balança para contar dinheiro
Coreia do Sul para aviões para que jovens se concentrem em prova

O modelo é similar ao adotado nos Estados Unidos e ajudará Bruxelas a identificar eventuais riscos à segurança do bloco. O documento valerá por cinco anos e será exigido de turistas que têm mais de 18 anos. “O Etias preencherá uma lacuna graças ao cruzamento de dados dos viajantes que não precisam de visto”, declarou Frans Timmermans, vice-presidente da Comissão Europeia.

No entanto, o sistema só deve entrar em vigor em 2019 e será mantido unicamente pela taxa de cinco euros. O custo operacional do Etias será de 80 milhões de euros por ano, sendo que, a cada 12 meses, 30 milhões de extracomunitários sem necessidade de visto entram no Espaço Schengen.

(Com ANSA)

Continua após a publicidade
Publicidade