Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

TV divulga primeiras imagens do assassino de Toulouse

Em vídeo, Mohammed Merah aparece rindo e dirigindo um carro; assista

Por Da Redação 21 mar 2012, 17h36

O canal de TV France 2 divulgou nesta quarta-feira as primeiras imagens do suspeito do massacre na escola judaica de Toulouse, Mohammed Merah. No vídeo, que teria sido gravado há um ano e meio, o acusado aparece sorrindo e dirigindo seu carro (assista abaixo). Merah está neste momento cercado pela polícia no prédio onde mora, em uma operação que já se estende por mais de 18 horas. Ele prometeu se entregar ainda nesta quarta-feira, mas já é noite em Toulouse (que tem um fuso horário de quatro horas a mais em relação a Brasília) e a imprensa local passou a descrever o caso como “uma saga interminável”. Com a eletricidade cortada desde cedo, todo o quarteirão está às escuras.

Confira, abaixo, as primeiras imagens divulgadas do assassino de Toulouse:

Histórico – Merah trabalhava como mecânico e havia tentado entrar na Legião Estrangeira da França em 2010. Conforme o site da revista Le Point, Merah, francês de origem argelina, foi expulso da corporação em seu primeiro dia e atualmente trabalhava como serralheiro em Toulouse, no sul da França.

O jovem entrou em contato com grupos islâmicos radicais com os quais também estava envolvido seu irmão, que foi preso nesta quarta-feira. Merah, que afirmou pertencer à Al Qaeda, fez duas viagens à fronteira entre o Paquistão e o Afeganistão, em 2010 e 2011, para se integrar a grupos combatentes de talibãs em uma região onde atua o Movimento dos Talibãs do Paquistão (TIP), informou o jornal Le Monde.

Crimes – Segundo o ministro do interior da França, Claude Guéant, Merah, de 23 anos, era conhecido pela polícia de Toulouse, pois já havia se envolvido em “uma dezena de atos de delinquência, alguns envolvendo violência”. Guéant o descreveu como “um pequeno delinquente que se radicalizou com um grupo salafista de Toulouse antes de viajar para o Afeganistão e Paquistão”. De acordo com o ministro, o grupo salafista, formado por cerca de 15 pessoas, é ideológico e “jamais se envolveu em atos criminais”.

Uma advogada que já defendeu Merah em 2004 e 2005, Marie-Christine Etelin, disse ao jornal francês Le Monde que o suspeito do massacre já foi condenado a um mês de prisão por dirigir sem licença. Merah foi condenado a um mês de prisão e deveria comparecer no início de abril perante um juiz de execução de penas que decidiria sobre a maneira de cumprir a punição.

Marie-Christine disse que não imaginava que seu cliente, um “jovem educado e cortês”, pudesse cometer atos de “uma dureza absoluta”. “Apesar de casos de delinquência, principalmente roubos, vi-o sempre como um indivíduo flexível em seu comportamento e não rígido até o ponto de pensar em um fanatismo”, afirmou. “Mas, há dois anos soube que havia se radicalizado subitamente e que havia ido ao Afeganistão”, acrescentou a advogada, que incentiva, “é claro”, seu cliente a se render.

Continua após a publicidade
Publicidade