Turquia protesta contra a Síria após ataque em seu território

Forças sírias dispararam pela primeira vez contra campo turco de refugiados

Por Da Redação - 9 abr 2012, 11h37

A Turquia protestou nesta segunda-feira contra o regime de Bashar Assad depois que as forças sírias abriram fogo na fronteira entre os dois países, matando duas pessoas e ferindo ao menos 17. Foi o primeiro ataque do governo sírio contra um campo de refugiados no país vizinho desde o início da revolta contra o ditador, há mais de um ano.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março para protestar contra o regime de Bashar Assad, no poder há 11 anos.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram mais de 9.400 pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

“Após esse incidente, o enviado da Turquia a Damasco foi chamado de volta e nós exigimos um fim disso”, disse à agência Reuters um oficial da chancelaria turca. Segundo a agência Associated Press, um tradutor e um policial da Turquia estão entre os feridos. Para evitar novas mortes no local, o Ministério das Relações Exteriores turco exigiu à embaixada síria em Ancara que os tiroteios cessem imediatamente.

Publicidade

O ataque – que acontece um dia antes de o enviado especial da ONU e da Liga Árabe, Kofi Annan, visitar os refugiados sírios na Turquia – deve colaborar com a crescente tensão entre os países vizinhos. As autoridades turcas já receberam, de portas abertas, mais de 24.000 refugiados sírios que escaparam da violência interna. O primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, recentemente demonstrou preocupação com a crise síria, pedindo mudanças no país, e mostrou-se decepcionado com seu antigo aliado, Assad.

Combates – Segundo a agência britânica BBC, os confrontos entre os rebeldes sírios e as forças de segurança somente cruzaram a fronteira. As tropas de Assad teriam continuado a atirar contra os rebeldes depois que eles entraram no território turco, informa a emissora.

A emissora NTV, porém, informa que as forças sírias ‘apontavam para o acampamento’, enquanto a sede da CNN na Turquia falava em ‘balas perdidas’. Três ativistas que vivem no local disseram que os soldados sírios disparavam de forma contínua e consciente no acampamento, situado a menos de 100 metros da fronteira. Eles disseram que as forças turcas não souberam proteger os refugiados em seu território.

De acordo com a CNN, antes desse episódio aproximadamente 100 sírios chegaram Turquia fugindo de outro tiroteio entre o Exército sírio e grupos rebeldes que combatiam perto da fronteira da província de Kilis. Relatos apontam que os sírios que estavam no acampamento de Öncüpinar saltaram as cercas do recinto, apesar do controle das forças turcas, e correram para dar apoio aos recém-chegados. Neste momento, as forças sírias começaram a disparar em direção ao acampamento.

Publicidade

Tiroteio – Em um incidente separado, um cinegrafista libanês da emissora Al-Jadeed teria sido morto durante um tiroteio na região fronteiriça de Síria e Líbano. Enquanto isso, os massacres continuam em vários pontos da Síria, com informações de ao menos 50 mortos somente nesta segunda-feira. Entre os mortos, há 12 membros do Exército Sírio Livre (ESL), que estavam nos combates próximos à Turquia, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos OSDH).

(Com agência EFE)

Publicidade