Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Turquia oferece “garantias” a Kadafi para deixar a Líbia

'Kadafi não tem opção, a não ser aceitar essa garantia. Dissemos que o ajudaríamos a ir para onde quisesse', disse premiê turco

Por Da Redação 10 jun 2011, 20h27

A Turquia ofereceu “garantias” para que o ditador Muamar Kadafi deixe a Líbia, declarou, nesta sexta-feira, o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan. O premiê turco, contudo ainda não recebeu nenhuma resposta do ditador. “Kadafi não tem opção, a não ser aceitar essa garantia. Dissemos que o ajudaríamos a ir para onde quisesse”, explicou Erdogan ao canal de televisão NTV, sem dar mais detalhes sobre quais foram as garantias oferecidas.

“Dependendo da resposta que ele nos dê, submeteremos o assunto a nossos aliados da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Mas, lamentavelmente, não recebemos resposta até o momento”, afirmou Erdogan. O primeiro-ministro turco lamentou o fato de Kadafi continuar resistindo a mudanças, apesar de ter “amplamente perdido sua posição de liderança entre as tribos do país”.

Na quinta-feira, durante a reunião do Grupo de Contato sobre a Líbia, em Abu Dabi, a secretária de Estado americana Hillary Clinton afirmou que os assessores de Kadafi já estavam debatendo uma “possível transição” de poder no país. A Turquia, único país da Otan a ter a maioria da sua população muçulmana, é um ator importante da região. Aos poucos, endureceu sua posição a respeito da situação na Líbia, após ter criticado num primeiro momento os bombardeios da coalizão internacional contra esse país.

O governo turco recusou-se a participar dos ataque aéreos, mas disponibilizou seis navios de guerra para as operações destinadas a fazer respeitar o embargo sobre armas nas águas territoriais líbias imposto pela Otan. Em abril, Ancara apresentou propostas para resolver a crise. Entre elas, um cessar-fogo imediato e um “processo de transformação” política para organizar eleições livres. A iniciativa não surtiu efeito.

(Com agência France-Presse)


Continua após a publicidade
Publicidade