Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Turquia lança ataque contra militantes curdos após explosão em Ancara

O Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) assumiu a autoria do atentado que deixou um morto e dois feridos na capital turca

Por Da Redação
2 out 2023, 12h31

A Turquia conduziu ataques aéreos contra militantes curdos no norte do Iraque no último domingo, dia 1º. O ataque ocorreu poucas horas depois do grupo Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) ter assumido a responsabilidade por um atentado terrorista na capital.

Em um comunicado, o Ministério da Defesa turco disse que os seus aviões de guerra destruíram 20 alvos do PKK, incluindo esconderijos em cavernas, bunkers, abrigos e armazéns nas regiões de Metina, Hakurk, Kandil e Gara. O exército da Turquia citou os direitos de autodefesa do Artigo 51 da Carta das Nações Unidas para justificar os ataques.

“Muitos terroristas foram neutralizados através da utilização da quantidade máxima de munições nacionais e nacionais”, afirmou o comunicado.

O PKK, classificado como organização terrorista pela Turquia, Estados Unidos e União Europeia, disse anteriormente que estava por trás da explosão do lado de fora do prédio do Ministério do Interior da Turquia, no domingo. O ataque deixou um morto e dois feridos.

+ Turquia quer caças dos EUA em troca de apoio à entrada da Suécia na Otan

A pasta confirmou que dois agressores assassinaram um civil e roubaram o seu veículo antes da abertura do parlamento em Ancara. Dois policiais também teriam sofrido ferimentos, mas sem risco de morte. De acordo com as autoridades, um dos agressores morreu no ataque suicida e o outro foi “neutralizado”.

Autoridades turcas confirmaram que pelo menos um dos agressores era membro do PKK. Com eles, os investigadores encontraram quatro tipos diferentes de armas, três granadas de mão, um lançador de foguetes e explosivos.

De acordo com Ancara, o PKK treina combatentes separatistas e lança ataques contra a Turquia a partir das suas bases no norte do Iraque e na Síria, onde um grupo curdo afiliado ao PKK controla grandes extensões de território.

Ataques terroristas tornaram-se comuns na Turquia no final da década de 2010, quando a insegurança e violência da Síria, devastada pela guerra, chegou ao norte do país e cruzou a fronteira turca.

Continua após a publicidade

+ Turquia dá sinal verde para Suécia entrar na Otan

Em 2022, a Turquia culpou o PKK por um ataque terrorista numa avenida central de Istambul, que matou seis pessoas e deixou dezenas de feridos. Nos últimos anos, Ancara realizou um fluxo constante de operações contra o PKK a nível interno, bem como operações transfronteiriças na Síria.

O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, prometeu que a Turquia continuaria a sua luta contra grupos militantes “até que o último terrorista seja eliminado internamente e no estrangeiro”. Segundo ele, o ataque de domingo marcou as “últimas ondas de terrorismo” no país.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.