Clique e Assine por apenas R$ 0,50/dia

Turquia intercepta avião sírio sob suspeita de levar armas

Aeronave civil havia decolado de Moscou com destino a Damasco

Por Da Redação 10 out 2012, 23h01

Um avião de passageiros sírio foi interceptado e escoltado nesta quarta-feira por caças da Força Aérea turca até o aeroporto Ancara-Esenboga para a realização de uma inspeção de segurança, depois que autoridades do país receberam informações de que a aeronave estava transportando “carga não civil” que não havia sido registrada. Segundo a imprensa local, a carga era composta por partes de mísseis, que seriam destinadas ao governo da Síria.

Entenda o caso

  1. • Na onda da Primavera Árabe, que teve início na Tunísia, sírios saíram às ruas em 15 de março de 2011 para protestar contra o regime de Bashar Assad.
  2. • Desde então, os rebeldes sofrem violenta repressão pelas forças de segurança, que já mataram milhares de pessoas no país.
  3. • A ONU alerta que a situação humanitária é crítica e investiga denúncias de crimes contra a humanidade por parte do regime.

Leia mais no Tema ‘Guerra Civil na Síria’

O chanceler turco Ahmet Davutoglu explicou que a interceptação ocorreu porque havia uma carga ilegal a bordo do avião que deveria ter sido registrada, como prevê a regulamentação da aviação civil.”Há elementos a bordo que podem ser qualificados como suspeitos”.

Leia também:

Ditador sírio responsabiliza Turquia pela crise no país

Síria derruba avião turco e aumenta a tensão na fronteira

“Estamos determinados a controlar as transferências de armas para um regime que realiza massacres brutais contra civis. É inaceitável que essa transferência seja feita usando o nosso espaço aéreo”, acrescentou o chanceler.

Também nesta quarta, a Turquia anunciou a proibição de aviões civis turcos entrarem no espaço aéreo sírio, considerado inseguro.

Saiba mais: EUA e Turquia temem ‘santuário de terroristas’ na Síria

Área em que ocorreram as explosões de bombas lançadas pela Síria, que matou pelo menos cinco pessoas, na região de Akcakale, na fronteira da Turquia
Área em que ocorreram as explosões de bombas lançadas pela Síria, que matou pelo menos cinco pessoas, na região de Akcakale, na fronteira da Turquia VEJA

O avião interceptado tinha decolado de Moscou com destino a Damasco. Entre os 35 passageiros a bordo, 17 eram cidadãos russos, o que levou as autoridades da Rússia a pedirem explicações ao governo da Turquia sobre o incidente.

Continua após a publicidade

Leia também:

Rússia continuará fornecendo defesa antiaérea à Síria

Rússia descumpre acordo e envia navios de guerra à Síria

Um funcionário russo informou, em entrevista publicada pela agência Interfax, que diplomatas de seu país foram enviados ao aeroporto de Ancara para defender os direito dos passageiros. Depois de uma inspeção, a aeronave foi liberada.

A Rússia é um dos países mais próximos de Assad e já vetou resoluções do Conselho de Segurança (CS) da Organização das Nações Unidas (ONU) contra Damasco.

Histórico – As relações entre a Turquia e a Síria, que já foram aliados próximos, tornaram-se cada vez mais tensas desde o início do levante rebelde contra Bashar Assad.

Na última quarta, um ataque proveniente do território sírio deixou cinco cidadãos turcos mortos, gerando uma nova onda de tensões entre os dois países.

Depois do ataque, o Exército turco reforçou sua presença na fronteira entre os países e vem revidando tiros e bombardeios vindos do norte da Síria, onde forças de Assad combatem os rebeldes.

(Com Agência France-Presse e Reuters)

Continua após a publicidade
Publicidade