Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Turquia insiste no objetivo de se tornar membro pleno da UE, diz Erdoğan

Presidente turco se encontrará com os líderes do bloco nesta segunda-feira; segundo ele, o país caminha para "a plena filiação" ao grupo

Por Da redação - Atualizado em 26 mar 2018, 21h52 - Publicado em 26 mar 2018, 21h03

O objetivo da Turquia continua sendo entrar na União Europeia (UE) como membro de pleno direito, disse nesta segunda-feira o presidente do país, Recep Tayyip Erdoğan, antes de partir para a cúpula com os líderes do bloco na cidade de Varna, Bulgária.

“Apesar das adversidades, caminhamos para a plena filiação e esse é nosso objetivo hoje”, disse Erdoğan à imprensa no aeroporto internacional Atatürk, em Istambul.

Segundo o chefe de Estado, foi sob o governo de seu partido, o Justiça e Desenvolvimento (AKP, na sigla em turco), que está no poder desde 2002, que a Turquia (candidata a entrar na UE desde 1999) mais avançou na aproximação com o bloco comunitário.

“Aprofundamos as relações com a UE e o maior progresso no caminho para a filiação plena aconteceu durante o nosso governo”, ressaltou Erdoğan.

Publicidade

Quanto à estagnação atual das negociações de adesão que estão suspensas e com vários países-membros do bloco propondo seu cancelamento definitivo, Erdoğan reconheceu problemas “devido a considerações políticas”.

Refugiados

O presidente confirmou que abordará com os líderes europeus o acordo entre a UE e a Turquia para conter o fluxo de refugiados que chegam à Europa, um pacto que, após dois anos de vigência, conseguiu reduzir em 97% as chegadas irregulares às ilhas gregas segundo dados do Ministério de Migração da Grécia.

Sobre esse acordo, o presidente turco insistiu em sua crítica que, enquanto a Turquia cumpriu sua parte, aceitando de volta todos os imigrantes ilegais que chegaram à Grécia, a UE ainda não quitou uma quantia de dinheiro que estava prevista no acordo. Neste mês, o bloco iniciou o desbloqueio de uma parte desse valor de 3 bilhões de euros.

“Lembraremos (aos líderes da UE em Varna) que não aceitamos a aplicação de um critério duplo (em relação à Turquia) e que continuem fazendo-nos esperar”, adiantou o presidente turco.

Publicidade

Não obstante, Erdoğan disse que está confiante em um resultado positivo durante o encontro, onde, após ser recebido pelo primeiro-ministro búlgaro, Boiko Borisov, participará de um jantar com os presidentes da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, e do Conselho Europeu, Donald Tusk.

“Na última vez, em maio, nos encontramos em Bruxelas e foi muito positivo, tomara que em Varna sigamos adiante”, declarou o líder turco em alusão ao fato de a reunião de hoje ser a primeira cúpula entre UE e Turquia desde maio de 2017.

(Com EFE)

Publicidade