Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Turquia inicia ofensiva contra curdos na Síria

Invasão é uma promessa de longa data do presidente turco e acontece apenas dois dias após início da retirada de tropas americanas da região

A Turquia iniciou uma operação militar contra as forças curdas no norte da Síria, anunciou o presidente Recep Tayyip Erdogan, nesta quarta-feira, 9. A ação acontece dois dias após o início da retirada de tropas americanas da região. Segundo Erdogan, o Exército turco atacará grupos armados da região, como o Estado Islâmico (EI) e o Exército de Proteção Popular (YPG), considerado terrorista por Ancara.

A Turquia espera criar uma “zona de segurança” em território sírio, para onde removeria os refugiados que estão atualmente em áreas sob o seu controle, segundo Erdogan. O YPG foi um dos principais aliados dos Estados Unidos na luta contra o Estado Islâmico (EI) na Síria. “As forças armadas turcas e o Exército Nacional da Síria (rebeldes sírios apoiados por Ancara) iniciaram a Operação Fonte de Paz no norte da Síria”, disse Erdogan, no Twitter.

Na noite de terça-feira, 8, as forças turcas bombardearam o nordeste da Síria, preparando o terreno para uma ofensiva militar. Os ataques tiveram como alvo rodovias e estradas, de forma a negar aos curdos a possibilidade de fortalecer suas posições e de defesa. A agência estatal de notícias síria Saana divulgou vídeo mostrando explosões em uma das duas cidades no nordeste do país que foram alvos das bombas.

A ofensiva é uma promessa de longa data do presidente turco, que só não atacou a região antes por causa da presença militar americana. Na segunda-feira, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou que seu país retirava-se da região, deixando o YPG à merce do governo turco. Na véspera, acertara sua iniciativa com Erdogan, que o visitará em Washington em novembro deste ano.

Um porta-voz curdo tratou dessa decisão como “uma facada nas costas”. O Departamento de Defesa insistiu nesta terça-feira, em nota, que a criação da “zona de segurança” é o “melhor caminho para manter a estabilidade”. Nesta quarta-feira, um representante de Erdogan se encontrou com o conselheiro de segurança nacional de Trump, Robert O’Brien.

‘Paz e estabilidade’ à Síria

Mais cedo nesta quarta, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, pediu a Erdogan que refletisse antes de iniciar qualquer ofensiva na Síria, informou o Kremlin em comunicado. “Putin pediu às autoridades turcas para refletir sobre a situação e não impedir que esforços comuns para resolver a crise síria fossem afetados”, informava a nota, divulgada após uma conversa telefônica entre os dois presidentes.

Na ligação, Erdogan afirmou que a ofensiva turca contra uma milícia síria curda trará “paz e estabilidade” à Síria. “O presidente declarou que a operação militar planejada no leste do rio Eufrates contribuirá para a paz e a estabilidade na Síria e abrirá o caminho para uma solução pacífica”, disse uma fonte da Presidência turca. A Rússia e a Turquia, apesar de apoiarem lados opostos na Síria, aumentaram sua cooperação nos últimos anos.

(Com AFP)