Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Turquia aprova lançamento de ataques aéreos dos EUA em seu território

O objetivo do acordo é aprofundar a luta contra o Estado Islâmico, que se torna cada vez mais perigoso para a Turquia

Por Da Redação 23 jul 2015, 17h48

Após meses de negociação, a Turquia concordou em permitir que o exército dos Estados Unidos lance ataques aéreos contra o Estado Islâmico de uma base aérea próxima à fronteira do país com a Síria, afirmaram oficiais da defesa turca. O acordo, tratado entre o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, permite que os EUA utilizem a base aérea de Incirlik, no leste do país, para enviar aviões tripulados e não tripulados para atacar os terroristas do EI. Os dois líderes conversaram na quarta-feira, informou a Casa Branca.

O uso da base de Incirlik é parte de um acordo maior entre os EUA e a Turquia para aprofundar a cooperação na luta contra o Estado Islâmico, que se torna cada vez mais perigoso para a Turquia. O porta-voz do Departamento de Estado americano afirmou ao jornal The New York Times que as duas nações “decidiram aprofundar ainda mais sua cooperação na luta contra o EI”, mas que devido à segurança da operação não poderia dar mais detalhes sobre a decisão até que o governo turco confirme o pacto publicamente.

Leia também:

Participantes de reality show australiano ficam na mira do EI

Líder veterano da Al Qaeda é morto em ataque aéreo dos EUA, diz Pentágono

Vídeo mostra momento exato do atentado na Turquia

Conflito na fronteira – A resolução veio após as forças turcas se envolverem pela primeira vez em um combate direto contra o EI. Nesta quinta-feira, o Exército da Turquia entrou em batalha com os terroristas no lado sírio da fronteira, deixando ao menos um soldado turco morto. “Soldados turcos reagiram ao fogo depois de receberem disparos do lado sírio na fronteira, vindos da região onde estão militantes do Estado Islâmico. O conflito está acontecendo neste momento”, declarou um oficial de defesa turca.

Há tempos os aliados da Turquia na Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) vêm expressando preocupação sobre o controle de sua fronteira com a Síria. O atentado suicida de segunda-feira na cidade de Suruç, no sudoeste turco, enfatizou os temores de que a guerra civil síria se espalhe pela Turquia. O exército turco já reforçou a segurança ao longo de trechos da fronteira nas últimas semanas à medida em que o conflito sírio, que envolve milicianos curdos, jihadistas islâmicos e forças de segurança da Síria, se intensifica.

(Da redação)

Continua após a publicidade

Publicidade