Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Tunísia: primeiro-ministro anuncia que renunciará ao cargo

Ali Larayedh vai abrir mão do poder em favor de um governo interino, que comandará o país até a promulgação da nova Constituição

O primeiro-ministro da Tunísia, Ali Larayedh, anunciou sua renúncia em favor de um governo interino que vai supervisionar as novas eleições no país. Larayedh, membro do partido islamita moderado Al Nahda, concordou em deixar o cargo depois de longas negociações com a oposição, que ocorreram por causa da crise política iniciada com o assassinato de um político de esquerda, em julho. A renúncia do governo liderado pelo Al Nahda em favor de um gabinete de tecnocratas é vista como uma admissão implícita do fracasso dos islamitas em administrar o país depois da queda, em 2011, do ditador Zine al-Abidine Ben Ali.

Em 5 de outubro, a aliança governista dirigida pelo partido Al-Nahda e a oposição tunisiana se comprometeram a escolher a um novo chefe de governo e a acelerar tanto a redação da Constituição quanto a preparação de eleições presidenciais e legislativas.

Em dezembro, ambas as partes chegaram a um consenso e escolheram apoiar Mehdi Yumaa como um primeiro-ministro provisório. Yumaa aguardava a renúncia de Larayedh. O gabinete de comunicação da presidência tunisiana informou que a cerimônia de renúncia ocorrerá no Palácio Presidencial de Cartago. O comunicado não definiu, no entanto, a data e a hora da cerimônia.

Leia também:

Assembleia Constituinte da Tunísia suspende trabalhos

Governo tunisiano recusa pedidos de renúncia da oposição

A Assembleia Nacional Constituinte começou na sexta-feira passada a discutir e votar artigo por artigo o projeto da nova Constituição, com o objetivo de finalizar as votações até dia 14, coincidindo com o terceiro aniversário da queda do regime do ditador Zine al-Abidine Ben Ali. Uma vez definidos todos os pontos, que exigem a maioria simples para sua aprovação, será submetido à votação o texto completo, que precisa do apoio de dois terços da câmara tunisiana.

“Eu espero que o país seja um modelo para a transição democrática”, declarou Larayedh aos jornalistas nesta quinta-feira após apresentar sua renúncia no palácio presidencial. Em suas declarações, Larayedh anunciou também a anulação de novos impostos sobre os veículos agrícolas previstos na Lei de Finanças de 2014, que provocaram várias protestos nas principais cidades do país.

(Com agência EFE e Estadão Conteúdo)