Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump volta criticar programa de TV por piada sobre emergência nacional

Saturday Night Live parodiou a entrevista de sexta-feira, na qual o presidente declarou emergência nacional para construir muro na fronteira com o México

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar neste domingo o programa de humor “Saturday Night Live” por ironizar em seu mais recente episódio a decisão do governante de declarar uma emergência nacional no país.

“Nada engraçado no cansativo Saturday Night Live”, escreveu Trump em sua conta no Twitter, na qual classificou a “NBC”, que exibe o programa, como uma emissora de “notícias falsas”.

Durante o episódio deste sábado, o programa parodiou a entrevista coletiva de sexta-feira, na qual o governante americano declarou a emergência nacional.

O ator Alec Baldwin, caraterizado como Trump, se referiu à enorme “quantidade de drogas que flui para o país desde a fronteira sul” e justificou que por isso o muro era necessário.

“Todos podem ver por que tenho que aparentar esta emergência nacional”, ironizou o ator, que logo em seguida mencionou que “pegando dinheiro militar” é possível ter o muro.

Em seu tuíte, Trump se perguntou “como as emissoras se safam com este ataque aos republicanos?”.

“Muito injusto e deve ser analisado. Esta é a verdadeira colusão”, acrescentou o governante, que em dezembro passado disse que o “Saturday Night Live” deveria ser levado aos tribunais pela exibição de um esquete sobre o filme “A Felicidade Não Se Compra” (1946) baseado em sua pessoa.

Naquela época, Trump considerou um “escândalo real” a “cobertura parcial, hora após hora, de redes como ‘NBC’ e máquinas democratas como o ‘Saturday Night Live'”.

“Não são nada além de uma cobertura injusta das notícias e anúncios democratas. Deveriam ser julgadas nos tribunais, não pode ser legal. Só difamam e minimizam”, argumentou.

Trump declarou na última sexta-feira uma emergência nacional para financiar a construção de um muro na fronteira com o México, após dois anos de confrontos com um Congresso reticente a ajudá-lo a cumprir a sua principal promessa eleitoral.

A declaração da emergência permite que os presidentes dos Estados Unidos ganhem temporariamente um poder especial para enfrentar uma crise.

“Estamos falando de uma invasão do nosso país com drogas, com narcotraficantes, com todos os tipos de criminosos e quadrilhas”, o que representa uma “emergência nacional”, defendeu Trump.

O presidente dos EUA pretende realocar cerca de US$ 8 bilhões para erguer 376 quilômetros de uma barreira com postes de aço, não um simples muro de concreto, segundo a Casa Branca.