Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Trump vence de Biden em 5 estados-chave para eleição nos EUA, diz pesquisa

Novo levantamento indica vantagem do ex-presidente no Michigan, Arizona, Nevada, Geórgia e Pensilvânia, enquanto Biden perde apoio do eleitorado jovem

Por Da Redação
13 Maio 2024, 15h02

Um conjunto de pesquisas divulgado nesta segunda-feira, 13, revelou que o ex-presidente americano Donald Trump lidera as intenções de voto em cinco estados-chave para as eleições presidenciais dos Estados Unidos. A vantagem em relação ao atual chefe da Casa Branca, Joe Biden, aumentou à medida que cresce o descontentamento de eleitores jovens com o governo do democrata.

Levantamentos do jornal americano The New York Times, Siena College e The Philadelphia Inquirer indicam que Trump tem vantagem no Michigan, Arizona, Nevada, Geórgia e Pensilvânia, considerados “swing states” – aqueles onde o eleitorado ora pende para o lado democrata, ora para o republicano, ou seja, são decisivos para o pleito. Biden, por sua vez, domina apenas um desses estados: Wisconsin. Na última eleição, em 2020, o democrata prevaleceu nos seis locais.

É uma má notícia para o democrata, que investiu milhões de dólares em publicidade, e um alívio para o republicano, que se vê envolvido em uma série de enroscos judiciais.

As prioridades dos americanos

A potencial condenação de Trump não parece ser motivo de preocupação para os eleitores. Outras questões, como custo de vida, economia, imigração e a guerra Israel-Hamas são mais importantes – e obstáculos para a campanha de Biden. A população não parece ter confiança de que o democrata é capaz de capitanear as melhorias necessárias no país, onde quase 70% dos eleitores acreditam que os sistemas políticos e econômicos precisam ser remodelados ou completamente desmantelados.

Apenas um tema coloca Trump em maus lençóis: o aborto. Em média, 64% dos eleitores em estados-chave disseram que o procedimento deveria ser sempre, ou quase sempre, legal, incluindo 44% dos trumpistas. Por isso, os eleitores confiam mais em Biden (49%), a favor da descriminalização a nível nacional, do que no republicano (38%) para lidar com a problemática.

Continua após a publicidade

+ Como protestos em universidades dos EUA podem impactar Biden nas eleições

Má fama entre os jovens

A descrença na administração vigente contagiou especialmente os eleitores jovens, negros e hispânicos — público historicamente favorável a candidaturas democratas. Entre aqueles de 18 a 29 anos e hispânicos, Trump e Biden estão empatados. Os levantamentos mostram, ainda, um possível resultado histórico: Trump tomou a dianteira por mais de 20% das intenções de voto entre eleitores negros, maior apoio dessa camada da população a um candidato republicano desde a promulgação da Lei dos Direitos Civis, em 1964.

A reviravolta tem mudado o mapa eleitoral e leva a previsões de vitória de Trump no Arizona, Geórgia e Nevada – estados que apoiaram Biden em peso nas últimas eleições. Ele permanece popular entre os americanos mais velhos e brancos, que são menos propensos a exigir mudanças no sistema e a apenas defender a democracia. Como consequência, o líder americano é mais competitivo nos estados indecisos do norte: Michigan, Pensilvânia e Wisconsin.

+ Atos nas universidades dos EUA testam limites da liberdade de expressão

Continua após a publicidade

Protestos nas universidades

Biden se viu alvo de uma imensa pressão protestos pró-Palestina espalhados pelo país nas últimas semanas, especialmente em universidades. Na batalha contra o candidato republicano, com quem está em empate técnico (Trump com 45% e Biden, 44%), perder o apoio dos jovens – em especial da Geração Z, dos nascidos entre 1997 e 2010 – pode custar a vitória nas próximas eleições, marcadas para novembro deste ano.

Em 2020, o presidente liderou com folga entre os jovens, com uma vantagem de 25 pontos percentuais em relação a Trump, de acordo com pesquisa da AP VoteCast. Agora, o jogo parece estar virando. Ainda que Biden permaneça popular entre aqueles de 18 a 29 anos, Trump vem avançando e é o candidato favorito entre 37% dos eleitores de novas gerações (23 pontos a mais do que em 2020).

Os protestos nas universidades americanas, englobando também as da Ivy League, e a insatisfação com o apoio “inabalável” de Biden a Israel são uma grande dor de cabeça para a campanha democrata. Desde o início dos protestos, centenas de estudantes foram presos pela polícia que invadiu os campi, incluindo a Universidade Columbia, Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA), Faculdade Emerson e Faculdade da Cidade de Nova York.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.