Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Trump: ‘Será uma pena se acusadora de Kavanaugh não testemunhar’

Presidente americano defendeu seu indicado à Suprema Corte; professora relatou tentativa de estupro há 36 anos

Por Da Redação
Atualizado em 20 set 2018, 11h03 - Publicado em 20 set 2018, 09h54

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta quarta-feira que será “lamentável” se a professora que acusa de agressão sexual seu indicado à Suprema Corte, o juiz conservador Brett Kavanaugh, não testemunhar no Congresso.

“Eu realmente quero ver o que ela tem a dizer”, afirmou Trump. “Se ela não aparecer, isso será lamentável”, acrescentou o presidente.

A professora Christine Ford quer que o FBI investigue sua alegação de que foi sexualmente agredida por Kavanaugh antes de dar seu testemunho à Comissão de Justiça do Senado na próxima semana, disseram seus advogados.

No documento, os representantes de Christine dizem que sua cliente quer cooperar com a comissão, mas ressaltam que ela se tornou alvo de “assédio violento e até ameaças de morte” desde que acusou Kavanaugh publicamente.

Os advogados acrescentaram que ela e sua família tiveram que se mudar e uma investigação do FBI “deve ser o primeiro passo para tratar as alegações”.

 

O FBI disse não estar investigando a questão. O pedido de Christine colocou em dúvida se a audiência planejada pelo comitê na segunda-feira irá acontecer. A sessão seria dedicada a ouvir o depoimento de Christine e do próprio Kavanaugh sobre o caso.

Trump, que já disse não acreditar que uma investigação do FBI seja necessária, sugeriu “deixar que o Senado” administre esse assunto. “Já levaram muito tempo nesse processo e continuam levando”, reclamou.

“Se aparecer e fizer uma apresentação crível, será muito interessante, e tomaremos uma decisão”, disse Trump para, em seguida, reiterar sua confiança em seu candidato.

“A única coisa que posso dizer é que ele é um homem extraordinário. É muito difícil para mim imaginar que aconteceu alguma coisa”, declarou Trump, destacando que essa situação foi uma “prova de fogo” para o juiz Kavanaugh e sua família.

Continua após a publicidade

O que está em jogo em Washington não é pouca coisa. Trata-se da nomeação de um juiz conservador, em caráter vitalício. A indicação Kavanaugh poderá deixar em minoria os juízes progressistas, ou moderados, da Suprema Corte, uma Casa que decide sobre temas-chave da sociedade americana.

Muitos sinais indicam que sem o depoimento de Ford na segunda-feira, a confirmação do juiz Kavanaugh poderia ocorrer rapidamente.

Christine acusa Kavanaugh de agressão sexual em uma festa no subúrbio de Washington há 36 anos, acusação que ele nega categoricamente.

(Com AFP e Estadão Conteúdo)

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

O Brasil está mudando. O tempo todo.

Acompanhe por VEJA.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.