Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Trump retira ameaça de ‘fechar’ governo por muro com o México

A mudança de posicionamento do presidente deve facilitar a aprovação de um projeto de orçamento para o ano fiscal de 2018

Por Da redação 1 set 2017, 21h30

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou atrás em sua ameaça de fechar de maneira parcial o governo americano caso não consiga os fundos necessários para a construção do muro na fronteira com o México, informaram os jornais The Hill e The Washington Post nesta sexta-feira. O veto do presidente a um orçamento sem os recursos para o muro poderia paralisar as atividades federais.

Trump disse aos líderes republicanos do Congresso que não fechará o governo como havia dito durante um ato em agosto em Phoenix, no Arizona. Segundo os jornais, que citam fontes legislativas, o presidente chegou a um acordo com os deputados e deixou de lado os 1,6 bilhão de dólares (5 bilhões de reais) que havia solicitado para a construção do muro.

Em um discurso no Arizona, Trump prometeu “fechar o governo” caso os democratas continuassem a obstruir a construção da barreira na fronteira com o México. “De uma forma ou de outra, nós vamos construir esse muro”, disse

Incluir fundos federais para o muro nos orçamentos do ano fiscal 2018, que serão debatidos no Congresso este mês, é uma das prioridades de Trump. No entanto, a proposta conta com forte oposição dos democratas, de quem os votos são necessários para aprovar qualquer legislação orçamental no Senado. Alguns republicanos, particularmente de estados ao longo da fronteira sul dos Estados Unidos, também expressaram ceticismo sobre a construção da barreira.

Se o Congresso e a Casa Branca não chegarem a um acordo sobre o orçamento ou não aprovarem um projeto de lei de despesas para ao menos manter a continuidade dos fundos aprovados no atual ano fiscal, o governo ficaria sem fundos e se veria obrigado a um fechamento parcial de suas atividades.

A última vez que isto ocorreu foi em 2013, quando o senador republicano Ted Cruz se recusou a destinar fundos para a reforma sanitária proposta pelo então presidente Barack Obama e nenhum projeto de despesas foi aprovado. O fechamento do governo levou à perda de centenas de milhares de dólares e à parada temporária de milhares de funcionários.

A mudança de posicionamento de Donald Trump sobre o muro deve aliviar os debates no Congresso e facilitar a aprovação de um projeto de orçamento para o ano fiscal de 2018.

(Com EFE)

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique. Assine VEJA.

Impressa + Digital

Plano completo de VEJA. Acesso ilimitado aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias 24h e revista digital no app (celular/tablet).

Colunistas que refletem o jornalismo sério e de qualidade do time VEJA.

Receba semanalmente VEJA impressa mais Acesso imediato às edições digitais no App.



a partir de R$ 39,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos de VEJA no site, com notícias 24h e ter acesso a edição digital no app, para celular e tablet. Edições de Veja liberadas no App de maneira imediata.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)