Clique e assine a partir de 9,90/mês

Trump promete impor poderio militar americano ao mundo

O nacionalismo deu o tom do discurso do presidente americano na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC) nesta sexta-feira

Por Da redação - Atualizado em 2 mar 2017, 14h51 - Publicado em 24 fev 2017, 15h07

Em seu discurso na Conferência de Ação Política Conservadora (CPAC), o principal encontro dos republicanos nos Estados Unidos, o presidente Donald Trump prometeu nesta sexta-feira que os EUA irão impor seu poderio militar ao resto do mundo.

O nacionalismo deu o tom da fala do republicano para a plateia formada por ativistas conservadores de todo o país, que se reuniram em um complexo hoteleiro nos arredores de Washington. “Eu não estou representando o mundo, estou representando nosso país. Somos americanos e o futuro pertence a nós”, disse.

Trump garantiu que os EUA voltarão a vencer, graças ao grande aumento na despesa em defesa que ele irá promover. “Ninguém irá se meter conosco”, disse. “Quando foi a última vez que ganhamos uma guerra?”, questionou, ressaltando a crença no conceito de “paz por meio da força”.

Os presentes gritavam “EUA, EUA, EUA”.

O presidente americano voltou a criticar o Tratado de Livre-Comércio da América do Norte (Nafta) e aproveitou o evento para defender o plano de reforçar a segurança na fronteira com o México. Trump afirmou que a construção do muro vai começar antes do previsto e reiterou que o controle migratório irá expulsar do país as “pessoas más”.

“Vamos construir o muro, não se preocupem. De fato, começaremos em breve, antes do previsto”, ressaltou.

Críticas à imprensa

Em seu discurso, Trump voltou a atacar a imprensa. “Estamos combatendo as notícias falsas. São falsas, mentiras, falsas. Há poucos dias chamei as notícias falsas de inimigas do povo, e elas são”, afirmou. “Temos que lutar contra eles. Os veículos de imprensa são muito inteligentes, muito astutos e desonestos (…). Ficam irritados quando expomos suas notícias falsas”, indicou o presidente no fórum.

(Com EFE)

Continua após a publicidade
Publicidade