Trump promete aceitar resultado da eleição… Se ganhar

O candidato republicano voltou a levantar a hipótese de não reconhecer o resultado das urnas, por acreditar na existência de fraudes eleitorais

Por Da redação - Atualizado em 20 out 2016, 18h05 - Publicado em 20 out 2016, 16h25

Depois de levantar polêmica sobre fraudes eleitorais no debate com Hillary Clinton, o candidato republicano à Presidência dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que aceitará o resultado das eleições de 8 de novembro, mas só se for o vencedor. Na noite de quarta-feira, durante o embate com a rival, Trump já havia indicado que deve decidir “na hora” se reconhece o veredicto das urnas.

“Prometo a meus eleitores e apoiadores e a todo o povo dos Estados Unidos que aceitarei totalmente os resultados dessa grande e histórica eleição presidencial”, declarou o magnata, durante um comício em Ohio nesta quinta-feira. “Se eu ganhar”, completou, após uma pausa dramática.

Nas últimas semanas, Trump vem insistindo que há uma falta de lisura na votação e um “complô” liderado pela imprensa para favorecer a ex-secretária de Estado. O bilionário amenizou o tom em Ohio, mas manteve em aberto a hipótese de não reconhecer o resultado das urnas. “Claro, eu aceitaria um resultado eleitoral limpo, mas também reservaria meu direito de contestá-lo ou de abrir um processo legal no caso de um resultado questionável”, explicou.

O comentário de Trump no debate de quarta-feira se tornou manchete nos principais jornais do mundo e provocou críticas até entre os republicanos. É uma tradição importante no país que o perdedor respeite e aceite publicamente o resultado eleitoral para, assim, ter início um novo período político. A fala do magnata foi vista como antidemocrática e ofensiva por alguns eleitores e políticos.

Publicidade

Após o debate, Hillary escreveu no Twitter que é “assustador” concorrer contra um candidato que “mina os pilares da democracia só porque odeia perder”. “Nossa democracia é baseada em eleições justas e transferência pacífica de poder. Trump não pode ameaçar isso só porque não consegue lidar com a realidade”, atacou.

(Com ANSA)

Publicidade