Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump: Ivanka seria ‘dinamite’ como embaixadora na ONU

Presidente dos EUA insinua a nomeação de sua filha e assessora para substituir Nikky Haley, a quem demitiu

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta terça-feira (9) que a sua filha e conselheira na Casa Branca, Ivanka, seria uma “dinamite” como embaixadora do país na Organização das Nações Unidas, em substituição a Nikki Haley. O balão de ensaio, porém, foi esvaziado pela própria Ivanka.

“As pessoas que a conhecem sabem que Ivanka é dinamite”, disse Trump na Casa Branca.

“Penso que Ivanka seria incrível, mas isso não significa (que eu poderia nomeá-la). Eu seria acusado de nepotismo, embora eu não esteja seguro de que haja alguém mais competente no mundo”, insistiu.

Logo em seguida, ela valeu-se do Twitter para dispensar a proposta do pai. “É uma honra servir na Casa Branca junto com tantos colegas excelentes, e o presidente vai nomear um substituto formidável para a embaixadora Haley. O substituto não serei eu”, postou.

Ivanka e seu marido, Jared Kushner, trabalham como assessores não remunerados de alto nível. Entre outros deveres, Kushner tem a tarefa de criar um plano de paz no Oriente Médio.

Trump anunciou de forma surpreendente a saída de Nikki Haley hoje no Salão Oval da Casa Branca, sem dar explicação sobre os motivos, nem revelar quem a substituirá. Ele limitou-se a dizer que está olhando muitas pessoas para o cargo e que a nova nomeação poderá ser conhecida “nas próximas duas ou três semanas”.

A indo-americana Haley foi a primeira mulher a governar o Estado da Carolina do Sul. Nomeada por Trump como embaixadora americana na Organização das Nações Unidas (ONU), ela prestou inúmeros serviços desagradáveis para a Casa Branca enquanto esteve no cargo.

Desde que foi eleito, em novembro de 2016, Trump gerou polêmica ao obscurecer os limites entre familiares, empresas da família e deveres oficiais.