Assine VEJA a partir de R$ 9,90/mês.

Trump: ‘EUA não vão mais tolerar práticas comerciais injustas’

Presidente americano também aproveitou discurso em Davos para criticar imprensa mais uma vez

Por Da redação - Atualizado em 26 jan 2018, 15h10 - Publicado em 26 jan 2018, 12h25

Donald Trump não surpreendeu e voltou a defender sua política de manter os Estados Unidos em primeiro lugar durante seu tão aguardado discurso no Fórum Econômico Mundial, em Davos, nesta sexta-feira.

“Os Estados Unidos não vão mais fechar os olhos para práticas comerciais injustas”, disse Trump a CEOs, banqueiros e líderes políticos durante o Fórum. “Nós não podemos ter um comércio livre e aberto se alguns países exploram o sistema às custas de outros”, acrescentou.

Trump, contudo, ressaltou que colocar seu país em primeiro lugar não significa que os Estados Unidos devem ficar “sozinhos”. O americano indicou, inclusive, que poderia no futuro fazer acordos bilaterais com os países do Acordo Transpacífico (TPP, na sigla em inglês), do qual retirou os Estados Unidos logo no início de seu mandato. “São países importantes. Podemos negociar bilateralmente ou em grupo, mas temos que rever as regras”, disse.

O discurso de Trump era um dos mais esperados do Fórum. Os presentes chegaram a esperar mais de uma hora na fila para entrar no auditório e ouvir o presidente americano. O republicano, contudo, não surpreendeu e manteve seu sermão tradicional de “os Estados Unidos em primeiro lugar”.

Publicidade

O presidente também aproveitou para ressaltar algumas conquistas de seu governo, como a reforma tributária aprovada em dezembro e a geração de empregos. “Depois de anos de estagnação, os Estados Unidos estão experimentando crescimento econômico”, afirmou.

Ataque à imprensa

Após o discurso, Trump participou de uma pequena sessão de perguntas e respostas com Klaus Schwab, presidente executivo do Fórum Econômico Mundial. Na conversa, o americano voltou a atacar a imprensa e foi vaiado pelo público do evento.

“Como empresário, sempre fui bem tratado pela imprensa. Só quando me tornei político percebi quão desagradável, malvada, perversa e falsa a imprensa pode ser”, afirmou. Logo em seguida, muitas vaias e reações descontentes puderam ser ouvidas na plateia.

(Com Reuters)

Publicidade