Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump escolhe crítico do Obamacare para mudar sistema de saúde

O deputado republicano por Georgia Tom Price foi anunciado como secretário de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos

O presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta terça-feira que escolheu Tom Price, crítico feroz do Obamacare e especialista em políticas públicas de Indiana, para ajudá-lo a reformular o sistema de saúde do país. O deputado republicano pela Georgia ocupará o cargo de secretário de Saúde e Serviços Humanos na gestão do magnata.

Trump também anunciou a consultora Seema Verma, que vai comandar os Centros de Serviços Medicare e Medicaid, uma agência poderosa que supervisiona os programas de saúde do governo e os padrões dos seguros de saúde. Price e Verma serão os principais nomes para ajudar o republicano em sua promessa de descartar a Lei de Cuidado Acessível, legislação de saúde pública concebida pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, mais conhecida como Obamacare.

A lei de 2010 desencadeou uma batalha política longa e agressiva entre a Casa Branca de Obama e os republicanos do Congresso, que disseram que a medida gerou uma intervenção governamental indevida nos planos de saúde particulares e na indústria privada. Price, que trabalhou como cirurgião ortopédico antes de entrar para a política, é um dos deputados que mais expõe sua oposição à medida de Obama. “Acho importante que Washington não esteja no comando dos planos de saúde”, disse em entrevista ao jornal Wall Street Journal, no início do ano.

Antes de ser eleito, Trump insistiu que iria acabar com o Obamacare e começar um novo plano para a saúde americana do zero. No dia 11 de novembro, porém, comentou em entrevista ao Wall Street Journal que repensou sua estratégia, depois de conversar com o atual presidente. “Disse a ele que examinaria [o Obamacare] porque o respeito”, indicou. De acordo com o magnata, uma de suas opções é apenas propor “emendas” à reforma de saúde, aprovada em 2010. 

Price, apoiador de primeira hora de Trump na Câmara dos Deputados, é atualmente presidente do comitê de orçamento. Sua indicação ainda precisa ser confirmada pelo Senado, assim como a de Verma, mas não deve receber oposições. O governo Trump também precisará da confirmação do Congresso, de maioria republicana, se quiser descartar e substituir a lei de saúde pública.

O presidente eleito deve revelar mais nomes de seu gabinete nesta terça-feira, mas ainda avalia seus escolhidos para três cargos de peso: os secretários de Estado, Defesa e Tesouro. Mitt Romney, candidato presidencial republicano em 2012, e Bob Corker, senador do Tennessee, estão sendo cotados para o Departamento de Estado, assim como o ex-prefeito de Nova York, Rudy Giuliani.

(Com Reuters)