Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

‘Você é um grande líder’, diz Trump a Kim em encontro no Vietnã

'Eu acredito que seu país terá um futuro maravilhoso', também afirmou o presidente dos EUA ao ditador norte-coreano

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o ditador da Coreia do Norte, Kim Jong-un, se encontram pela segunda vez nesta quarta-feira, 27, em Hanói, no Vietnã. Os dois participaram de uma reunião privada antes de se reunirem para um jantar de trabalho no luxuoso Metropole Hotel.

Os mandatários foram acompanhados no jantar por quatro de seus assessores. Pelo lado americano estão o secretário de Estado, Mike Pompeo, e o chefe de gabinete interino da Casa Branca, Mick Mulvaney, enquanto os acompanhantes de Kim são o vice-presidente do Partido dos Trabalhadores da Coreia, Kim Yong Chol , e o ministro das Relações Exteriores, Ri Yong Ho.

Antes da reunião, Trump e Kim se cumprimentaram em frente às câmeras e deram declarações à imprensa. Quando perguntado sobre a possibilidade de um acordo de paz com a Coreia do Norte, o presidente americano respondeu: “Vamos ver”.

“Eu acredito que seu país terá um futuro maravilhoso, você é um grande líder”, disse ainda a Kim Jong-un. “Nós vamos ajudar para que isso aconteça”, completou.

Já o norte-coreano afirmou que a decisão de realizar uma nova reunião de cúpula foi uma “decisão corajosa” do presidente dos Estados Unidos. “Fomos capazes de superar todos os obstáculos e estamos aqui hoje”, disse.

Pouco antes do encontro, Trump afirmou pelo Twitter que ele e Kim vão se “esforçar muito para definir algo sobre a desnuclearização” do país asiático e transformá-lo em uma “potência econômica”.

No mesmo tuíte, Trump disse acreditar que China, Rússia, Japão e Coreia do Norte “ajudarão muito” com a desnuclearização da Coreia do Norte.

Após a reunião privada de pouco mais de 20 minutos entre os dois líderes, Kim Jong-un afirmou que ele e Trump “dividiram muitas histórias interessantes” em seu encontro.

Depois do jantar, que durou por volta de 1h30, Trump voltou para o hotel em que está hospedado. O republicano ainda postou uma mensagem no Twitter, em que afirmou ter tido “ótimas reuniões e jantar” hoje no Vietnã. 

O grosso das reuniões da cúpula acontecerá nesta quinta-feira, 28, embora ainda não se saibam os detalhes da agenda desse processo.

A Casa Branca já comunicou aos jornalistas que acompanham os eventos que marcou uma cerimônia de assinatura para um “acordo conjunto” durante os encontros de Donald Trump e Kim Jong-un previstos para amanhã.

O presidente americano também deve participar de uma coletiva de imprensa para tratar dos progressos alcançados com o norte-coreano depois das reuniões. 

As negociações

Os mandatários se encontraram pela primeira vez em junho do ano passado, em Singapura. Na ocasião, o norte-coreano se comprometeu a trabalhar “rumo à completa desnuclearização da península coreana”, mas desde então os avanços diplomáticos estagnaram devido a desavenças sobre o que isto significaria.

A esperada segunda cúpula entre Estados Unidos e Coreia do Norte dará a oportunidade para se conhecer em que grau o país asiático está comprometido com sua desnuclearização e, a partir daí, que concessões o governo americano estaria disposto a fazer para incentivar o desarmamento.

De qualquer forma, a maioria dos analistas coincide em apontar que é impossível que esta segunda reunião resulte em um roteiro detalhado, mas que existe a possibilidade de acordos sobre medidas que sirvam para começar a traçar um plano em grande escala.

Chegada a Hanói

Kim e Trump chegaram a Hanói na terça-feira 26. O norte-coreano desembarcou no país asiático de trem sob fortes medidas de segurança, e foi recebido por uma multidão entusiasmada.

Após algumas horas de descanso, Kim visitou a embaixada norte-coreana e retornou para o hote Melia, onde está hospedado durante esta semana.

Por sua vez, Trump chegou depois de Kim no avião presidencial Air Force One, que pousou pouco antes das 21h00 local (11h00 de Brasília) no Aeroporto Internacional Noi Bai.

O americano iniciou hoje sua agenda em Hanói com uma reunião com o presidente do Vietnã e secretário-geral do Partido Comunista no poder, Nguyen Phu Trong.