Clique e assine a partir de 9,90/mês

Bolsonaro é ‘especial’ e ‘muito amado pelo povo’, diz Trump em encontro

Brasileiro e americano trocaram elogios durante reunião bilateral em Osaka, palco da cúpula do G20

Por Da Redação - Atualizado em 28 jun 2019, 14h34 - Publicado em 28 jun 2019, 11h10

A reunião bilateral entre Jair Bolsonaro e o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, nesta sexta-feira, 28, em Osaka, no Japão, foi marcada por uma intensa troca de elogios. “Ele é um homem especial, está muito bem, muito amado pelo povo do Brasil”, declarou Trump.

Bolsonaro respondeu: “Eu sou um grande admirador há muito tempo, inclusive antes de sua eleição”.

“Eu apoio Trump, apoio os Estados Unidos, eu apoio sua reeleição”, completou o presidente brasileiro.

Durante o encontro, Donald Trump disse que visitará o Brasil, mas sem fornecer uma data definida. Os líderes ainda conversaram sobre a ideia de um acordo de livre-comércio entre os países.

Continua após a publicidade

“Na reunião com o presidente @realDonaldTrump, retomamos assuntos tratados na visita a Washington e introduzimos a ideia de um acordo de livre comércio para fortalecer ainda mais nossa parceria econômica. Trabalhando juntos, Brasil e EUA podem ter impacto muito positivo no mundo”, disse Bolsonaro em suas redes sociais após o encontro.

O brasileiro é comparado com frequência ao presidente americano e é chamado por parte da imprensa internacional de “Trump dos trópicos”. Esta foi a segunda vez que os dois se reuniram, após o primeiro encontro em março na Casa Branca.

Continua após a publicidade

Jair Bolsonaro pode ser um raro aliado para Trump em uma reunião do G20 que pode ser uma das mais conturbadas em vários anos, com as disputas sobre comércio, a mudança climática e as tensões no Oriente Médio na agenda.

Como Trump, Bolsonaro é considerado um cético da mudança climática. O brasileiro também segue o modelo do presidente americano de uso intenso das redes sociais.

Continua após a publicidade

No G20, os dois presidentes também voltaram a tratar da crise com a Venezuela e da entrada do Brasil na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

O americano mencionou a possibilidade de aumentar sanções ao governo venezuelano de Nicolás Maduro e destacou a importância do apoio brasileiro na questão.

Trump também reiterou o apoio para que o Brasil ingresse como novo membro da OCDE. Em contrapartida, o governo brasileiro concordou em abrir mão de vantagens comerciais na Organização Mundial do Comercial (OMC).

Presente na cúpula do G20, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) postou no Twitter uma foto ao lado do pai e de Donald Trump. Eduardo comemorou a troca de elogios entre os dois presidentes e afirmou que o “sentimento” seguirá em 2020, quando Trump tenta sua reeleição.

(Com Reuters e AFP)

Publicidade