Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Trump e Biden trocam farpas em dia tenso de campanha eleitoral

Presidente chamou o oponente de "estúpido", enquanto candidato democrata acusou republicano de não ter tido coragem de enfrentar a pandemia

Por Da Redação Atualizado em 8 set 2020, 09h00 - Publicado em 8 set 2020, 08h52

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e o seu rival democrata nas eleições de novembro, Joe Biden, trocaram farpas nesta segunda-feira 7, no início da reta final de sua corrida pela Casa Branca. O republicano chamou o oponente de “estúpido”, enquanto Biden acusou o presidente de não ter tido coragem de enfrentar a pandemia.

Biden e sua companheira de chapa, Kamala Harris, bem como o vice-presidente americano, Mike Pence, visitaram dois estados de grande importância para as eleições: Pensilvânia e Wisconsin.

Trump, que está atrás nas pesquisas, convocou uma entrevista coletiva inesperada na Casa Branca. O presidente alardeou a criação de empregos, após a perda de 10 milhões de postos devido à pandemia, e afirmou que o país está conseguindo contornar a doença.

O presidente também especulou sobre a possibilidade de uma vacina antes das eleições, o que especialistas consideram improvável, e voltou a atacar a China, seus parceiros na Otan e o acordo de Paris sobre as mudanças climáticas. O presidente também chamou Biden de “estúpido, porque deseja que o país se renda ao vírus, que nossas famílias se rendam aos grupos violentos de extrema esquerda, e quer entregar nossos empregos para a China”.

Biden visitou a Pensilvânia, onde se reuniu com líderes sindicais e respondeu on-line a perguntas feitas por membros da poderosa central sindical AFL-CIO.

ASSINE VEJA

Os riscos do auxílio emergencial Na edição da semana: a importância das reformas para a saúde da economia. E mais: os segredos da advogada que conviveu com Queiroz
Clique e Assine

‘Totalmente antiamericano’

“Sabemos que ele foi muito bom com seus amigos ricos, mas nem tanto com o restante de nós”, criticou Biden. O democrata também atacou Trump por causa de um relatório publicado pela revista The Atlantic que afirma que o presidente falou com desprezo sobre os veteranos da Primeira Guerra Mundial: “É totalmente antiamericano.”

Continua após a publicidade

Embora Trump tenha chamado de “farsa” o informe da revista, o tema é considerado sensível, uma vez que uma pesquisa mostrou que ele está perdendo apoio entre militares da ativa. “Não estou dizendo que as lideranças militares me amam, mas os soldados, sim”, afirmou o presidente, durante a coletiva de hoje.

Os candidatos à presidência, que costumam percorrer vários estados por dia, limitaram seus deslocamentos este ano, e, no caso de Biden, 77, reúnem-se com muito poucos eleitores.

Tensão

O vice-presidente Mike Pence, novamente companheiro de chapa de Trump, viajou para Wisconsin, no norte, onde o presidente venceu por uma margem mínima em 2016. A candidata democrata à vice-presidência também esteve no local, em sua primeira visita a um estado-chave após a sua indicação.

Assim como Biden o fez na semana passada, Kamala se reuniu a portas fechadas com a família de Jacob Blake, gravemente ferido a tiros por um policial. A senadora da Califórnia é a primeira candidata à vice-presidência negra e de origem indiana na história do país.

A participação dos negros, eleitorado tradicionalmente democrata, despencou nas eleições de 2016 em Wisconsin, e sua mobilização será fundamental em 3 de novembro.

(Com AFP)

Continua após a publicidade

Publicidade