Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump ataca pais de capitão muçulmano morto em combate

Além que ironizar a postura da mãe de Humayun Khan, republicano afirmou que 'também fez muitos sacrifícios'

O candidato à presidência dos Estados Unidos Donald Trump despertou críticas de membros de seu próprio partido e também da oposição ao questionar o comportamento dos pais de um muçulmano capitão do exército americano morto em combate. Depois que o advogado Khizr Khan fez um tributo a seu filho, Humayun, durante a convenção do partido Democrata, Trump questionou sobretudo a postura da mulher dele, Ghazala Khan, que ficou calada durante a fala do marido.

Leia também: Trump diz que não vai mais ser “o cara legal” com Hillary

“Se você olhar pra esposa dele, ela estava apenas parada lá. Ela não tinha nada a dizer. Ela talvez não tivesse permissão pra dizer nada”, disse Trump em entrevista ao programa de TV “This Week”, da rede ABC. A declaração gerou críticas dos dois partidos, com políticos questionando se Trump teria a empatia e compreensão para ser presidente.

“Ele tentou transformar aquilo em algo ridículo e isso mostra uma inadequação de temperamento”, disse Tim Kaine, candidato a vice-presidente pelo partido Democrata, adversário de Trump. O ex-presidente Bill Clinton concordou. “Não posso conceber como alguém pode dizer isso sobre uma mãe”, afirmou.

Ghazala Khan disse que não falou durante o evento porque ainda estava emocionada e de luto. Ela relatou que não consegue sequer olhar para as fotos de seu filho sem chorar. Trump também rebateu às críticas de Khan de que ele jamais “sacrificou nada nem ninguém” por seu país. “Fiz muitos sacrifícios. Eu trabalho muito duro e já criei milhares de empregos, dezenas de milhares”, rebateu o candidato.

Até mesmo estrategistas do partido Republicano, o partido de Trump, criticaram os comentários do candidato, considerados racistas. Líderes republicanos como o deputado Paul D. Ryan e o senador Mitch McConnel permaneceram calados, assim como o candidato a vice, Mike Pence.

A candidata opositora Hillary Clinton disse a eleitores em Youngstown que “Donald Trump não é um candidato normal”. “Alguém que ataca todo mundo tem algo faltando”, disse ela. “Ele atacou o pai de um militar que sacrificou a si mesmo por seu batalhão”, completou a candidata democrata. “Eu acredito que é justo dizer que ele tem temperamento inadequado e não é qualificado”, acrescentou sobre o adversário.

Mais tarde, Trump divulgou uma declaração na qual chamava Humayun Khan de herói, mas rechaçava as declarações feitas pelo pai do militar.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Os Socialistas americanos escondidos no partido Democratas fazem o JOGO SUJO mais antigo, pegam uma exceção e querem TRANSFORMAR EM REGRA. Se continuarem no poder VÃO ACABAR COM A DEMOCRACIA MAIS PODEROSA DO PLANETA. #TrumpPresident

    Curtir