Clique e assine com 88% de desconto

Trump diz não precisar de unidade do Partido Republicano para se eleger

Líderes republicanos, como a família Bush e Mitt Romney, rejeitaram apoiar o magnata na convenção do partido

Por Da Redação - 9 maio 2016, 15h07

Donald Trump, o único candidato para representar os republicanos nas eleições presidenciais dos Estados Unidos, dispensou a unidade de seu partido como um pré-requisito para vencer a corrida pela Casa Branca. “O partido tem que estar unificado? Eu realmente não acho que precisa”, afirmou o magnata em uma entrevista à emissora NBC neste domingo. “Seria melhor se estivesse unificado. Existem vantagens nisso. Mas não precisa estar realmente.”

Os últimos dois oponentes de Trump nas primárias republicanas, Ted Cruz e John Kasich, desistiram da disputa na semana passada, fazendo do magnata a provável escolha do seu partido para as eleições gerais. Seu nome será confirmado apenas em julho, durante a convenção da agremiação. No entanto, cada vez mais republicanos rejeitam dar apoio ao bilionário.

Leia mais:

Confiante, Trump diz que eleitores não precisam mais votar nas primárias

Publicidade

Trump diz que “ama hispânicos” nas redes sociais

Como Trump desafiou as previsões da campanha presidencial dos EUA

Os ex-presidentes dos Estados Unidos George Bush e George W. Bush, por exemplo, decidiram “manter silêncio” sobre a campanha deste ano e não vão comparecer à convenção do Partido Republicano, que ocorre em Cleveland de 18 a 21 de julho. Mitt Romney e o senador John McCain, adversários de Barack Obama nas eleições de 2012 e 2008, respectivamente, além do atual presidente do Congresso americano, Paul Ryan, também anunciaram que não devem estar presentes no evento.

Democratas – À NBC, Trump também disse que espera que alguns eleitores democratas o apoiem nas eleições. “Vou chegar a milhões de pessoas dos democratas. Vou conseguir que os eleitores de Bernie (Sanders) votem em mim”, afirmou, referindo-se ao principal rival interno de Hillary Clinton, a favorita à nomeação democrata.

Publicidade

Hillary e seus aliados, que já preveem uma batalha contra Trump nos próximos meses, estão direcionando recursos a estados norte-americanos como Ohio e Pensilvânia para tentar impedir o magnata de conquistar terreno entre os eleitores da classe trabalhadora nesses locais.

(Da redação)

Publicidade