Clique e Assine a partir de R$ 19,90/mês

Trump demite ajudante pessoal e o coloca em campanha de reeleição

John McEntee foi demitido "por motivos de segurança", mas já foi anunciado como assessor principal para operações de campanha eleitoral para 2020

Por EFE 13 mar 2018, 16h31

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, demitiu nesta segunda-feira o seu ajudante pessoal, John McEntee, “por motivos de segurança”, mas o recolocou em um cargo de destaque em seu comitê de campanha para a reeleição em 2020, informaram nesta terça-feira vários veículos de imprensa americanos.

McEntee, que trabalhava para Trump desde a campanha eleitoral de 2016, foi despedido abruptamente na segunda-feira pela tarde e sequer teve permissão para recolher seus pertences, segundo indicaram fontes da Casa Branca ao jornal The Wall Street Journal. A Casa Branca não ofereceu um motivo para a sua saída, mas o jornal afirmou que isso se deve a um motivo de segurança não especificado.

A rede de televisão CNN assinalou que a demissão se deve às dificuldades de McEntee para obter permissão permanente de acesso à informação confidencial, um problema que afeta muitos funcionários da Casa Branca.

O chefe de gabinete de Trump, John Kelly, anunciou em fevereiro que retiraria as permissões temporárias de alto sigilo aos funcionários que estivessem há mais de oito meses aguardando a conclusão da investigação de antecedentes necessária para obter uma autorização permanente.

Continua após a publicidade

Além de provocar a demissão de McEntee, isso fez com que o genro e assessor de Trump, Jared Kushner, tivesse sua permissão de “alto sigilo” rebaixada para “sigilo”, o que veta o seu acesso à informação de inteligência mais delicada do governo americano.

Como assistente pessoal de Trump, McEntee se ocupava das necessidades logísticas do presidente e lhe entregava mensagens quando estava na residência presidencial.

Sua saída “não será boa para a moral” na Casa Branca, disse um funcionário do governo ao Wall Street Journal. Além disso, o anúncio coincide com a demissão do secretário de Estado Rex Tillerson, que Trump decidiu substituir pelo diretor da CIA, Mike Pompeo.

McEntee se juntará nos próximos dias à operação destinada à reeleição de Trump em 2020, com o cargo de assessor principal para operações de campanha.

“Estamos encantados de dar as boas-vindas a dois membros excelentes de nossa equipe de 2016”, disse o chefe da campanha de reeleição de Trump, Brad Parscale, em comunicado. A campanha também anunciou a nomeação de Katrina Pierson, que foi porta-voz de Trump durante sua corrida preidencial em 2016, como assessora em seu esforço para a reeleição.

Trump já deixou clara a sua intenção de concorrer a um segundo mandato no mesmo dia em que chegou ao poder, 20 de janeiro de 2017, e nomeou Parscale como chefe da sua campanha para a reeleição no final de fevereiro.

Continua após a publicidade

Publicidade