Clique e assine com até 92% de desconto

Trump declara coronavírus emergência nacional nos EUA

Medida permite liberação de fundos de até 50 bilhões de dólares para governos estaduais e municipais, além de equipes de suporte

Por Julia Braun Atualizado em 13 mar 2020, 17h44 - Publicado em 13 mar 2020, 16h33

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou nesta sexta-feira, 13, emergência nacional devido ao rápido avanço da pandemia de coronavírus, abrindo as portas para mais ajuda federal para combater a doença no país.

Os Estados Unidos têm 1.872 casos de Covid-19 confirmados até agora, além de 41 mortes. O temor da propagação da doença no país levou à escassez de produtos nas prateleiras de mercados e forçou os governadores de seis estados a anunciar o fechamento de escolas por um período de até duas semanas.

“Para lançar todo o poder do governo federal, estou oficialmente declarando uma emergência nacional”, disse Trump em um pronunciamento na Casa Branca. 

“Removeremos ou eliminaremos todos os obstáculos necessários para fornecer a nosso povo os cuidados que precosam e têm direito. Nenhum recurso será poupado”, acrescentou. 

Segundo o presidente americano, meio milhão de kits para a realização de testes de coronavírus estarão disponíveis na próxima semana, e milhões mais serão disponibilizados nas semanas seguintes. Nos últimos dias, denúncias de kits de diagnóstico insuficientes para atender a demanda foram reportadas em diversos estados do país. 

Trump afirmou ainda que a declaração de emergência dará mais poderes ao Ministério da Saúde para dar entrada em uma série de leis e regulamentações que podem flexibilizar e facilitar o trabalho dos profissionais da saúde na luta contra a Covid-19.

Continua após a publicidade

O presidente também disse que famílias americanas serão submetidas a procedimentos extras de segurança ao retornar de viagens da Europa, além de ficar em quarentena. 

  • Trump vinha sendo pressionado para declarar estado de emergência sob a lei de 1988, que permite que a Federal Emergency Management Agency (FEMA) forneça fundos para governos estaduais e municipais, além de equipes de suporte. A medida raramente é utilizada. O ex-presidente Bill Clinton, em 2000, declarou tal emergência para o vírus do Nilo Ocidental.

    O presidente afirmou que a medida “abrirá acesso a até 50 bilhões de dólares”, que ele descreveu como “uma grande quantia em dinheiro para estados, territórios e localidades na luta conjunta contra a doença”. Ele ainda convocou todos os estados a criar centros de operações de emergência. 

    Além de Trump, uma série de especialistas e representantes de supermercados, laboratórios e farmacêuticas também foram convocados pelo presidente para tratarem das preparações americanos para a pandemia.

    “Ainda temos um longo caminho pela frente. Haverá muitos casos”, afirmou Anthony Fauci, chefe do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos Estados Unidos. “Mas nós vamos cuidar disso. O que está acontecendo aqui hoje vai nos ajudar a acabar com isso mais cedo”.

    (Com Reuters e AFP)

    Continua após a publicidade
    Publicidade