Clique e assine a partir de 9,90/mês

Trump culpa erro no Oscar por obsessão de Hollywood por ele

O republicano afirmou que a premiação "se perdeu" em preocupações políticas

Por Da redação - 27 Feb 2017, 21h28

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse nesta segunda-feira que a confusão no fim da cerimônia do Oscar foi causada pela obsessão de Hollywood por ele, afirmando que a premiação se descuidou de aspectos-chave da cerimônia.

“Acho que estavam tão focados na política que não conseguiram colocar a cerimônia em ordem no final”, disse o republicano, em entrevista ao site conservador Breitbart News. “Foi um pouco triste, tirou um pouco do glamour do Oscar, não parecia uma noite muito glamourosa. Já estive no Oscar, tinha algo muito especial faltando, e terminar daquele jeito foi triste.”

No momento do anúncio do prêmio de melhor filme, um envelope errado foi entregue aos apresentadores, que anunciaram La La Land como vencedor, quando o prêmio deveria ser entregue a Moonlight. A cerimônia foi pontuada do início ao fim por ironias e críticas ao presidente americano, que tem poucos admiradores na indústria do cinema. O cineasta iraniano Asghar Farhadi, que saiu vencedor na categoria de filme estrangeiro, boicotou a premiação em respeito aos compatriotas impedidos de entrar nos Estados Unidos, após o decreto anti-imigração do republicano.

“Temos que agradecer ao presidente Trump. Lembram no ano passado, quando diziam que o Oscar era racista? Isso ficou no passado graças a ele”, ironizou o apresentador Jimmy Kimmel, se referindo aos dois anos muito criticados da premiação, por ter apenas brancos indicados nas categorias de atuação ou direção.

Continua após a publicidade

O site Breitbart apoiou Trump durante sua campanha e já teve como executivo-chefe Stephen Bannon, atual assessor sênior do presidente. No artigo que acompanha as declarações do presidente, a página, que é fortemente criticada pelo restante da imprensa americana, escreveu: “Agora, o presidente ri por último, enquanto bate em Hollywood por sua falha épica”.

(Com AFP)

Publicidade