Assine VEJA por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Trump criticado por colocar seguranças em risco em ‘escapada’ do hospital

Com Covid-19, presidente americano fez passeio de carro acompanhado de agentes do Serviço Secreto para acenar a apoiadores

Por Julia Braun Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO Atualizado em 5 out 2020, 10h21 - Publicado em 5 out 2020, 09h55

Donald Trump deixou o hospital em que está internado com Covid-19 neste domingo 4 para dar uma volta de carro e acenar para apoiadores. A ‘escapada’ do presidente americano, porém, tem sido motivo de muitas críticas. Além da imprensa e de parte da oposição, o republicano foi condenado por membros de sua segurança pessoal e médicos do Centro Médico Militar Walter Reed, onde está internado em Washington desde sexta-feira 2.

Usando máscara, Trump deixou o hospital em um carro preto e circulou pelos arredores do prédio, onde eleitores se reuniam em apoio ao presidente. No carro com o republicano estavam ao menos dois agentes do Serviço Secreto, equipados com macacões e outros equipamentos de proteção. Cerca de meia hora depois o mandatário retornou ao centro médico.

O passeio foi interpretado como uma forma do mandatário mostrar aos americanos que ainda está no comando da Casa Branca. A falta de cuidado de Trump com os membros de sua segurança pessoal, porém, incomodou parte da equipe. À rede americana CNN, agentes do Serviço Secreto reclamaram da atitude do presidente. “Isso nunca deveria ter acontecido”, disse um funcionário sob condição de anonimato.

“A frustração com a forma como somos tratados quando se trata de decisões sobre esta doença remonta a antes desse episódio. Não somos descartáveis”, disse o agente. Ainda não se sabe se os funcionários que acompanhavam Trump no carro foram infectados, mas diversos membros do Serviço Secreto testaram positivo nas últimas semanas ao escoltar o presidente em comícios e outros eventos de campanha.

Continua após a publicidade

Embora os agentes do Serviço Secreto possam impedir que o presidente se coloque em situações de risco, eles não podem se recusar a proteger o mandatário por medo de se colocarem em perigo. “Foi simplesmente imprudente”, disse outro agente à CNN.

Em um comunicado, a Casa Branca insistiu que medidas foram tomadas para proteger as pessoas que acompanhavam Trump no carro. “Foram tomadas as devidas precauções para proteger o presidente e todos os que o apoiam”, afirmou o vice-secretário de imprensa da Casa Branca, Judd Deere. “A saída foi autorizado pela equipa médica como segura”, disse.

ASSINE VEJA

O novo perfil que Bolsonaro quer para o STF Leia nesta edição: os planos do presidente para o Supremo. E mais: as profundas transformações provocadas no cotidiano pela pandemia ()
Clique e Assine

Médicos e especialistas, porém, criticaram a decisão. Em suas redes sociais, James P. Phillips, médico do Centro Médico Militar Walter Reed, classificou a saída de Trump como uma “irresponsabilidade espantosa” e afirmou que os agentes dentro do carro deverão fazer quarentena de 14 dias.

Continua após a publicidade

“A SUV presidencial não é apenas à prova de balas, mas hermeticamente selada contra ataques químicos”, escreveu o médico. “O risco de transmissão da Covid-19 em seu interior é tão alto quanto em situações em que não há cuidados médicos. A irresponsabilidade é espantosa. Meus pensamentos estão com os agentes do Serviço Secreto forçados a trabalhar”.

No domingo, pouco antes de sair do hospital para dar uma volta, Trump divulgou um vídeo em suas redes sociais em que disse que seu “verdadeiro teste” virá nos próximos dias, referindo-se à eleição presidencial dos EUA. O republicano afirmou ainda que aprendeu muito com a experiência. “Tenho aprendido muito sobre Covid. Aprendi realmente indo à escola. Esta é a escola real”, disse.

Também neste domingo os médicos do presidente admitiram que o republicano precisou de oxigênio em pelo menos duas ocasiões desde o teste positivo para a doença. Nos boletins médicos anteriores, os especialistas afirmavam que Trump estava muito bem e fora internado apenas como medida de prevenção.

Continua após a publicidade

O presidente está sendo medicado com Dexametasona, que só é recomendado para pacientes em quadro grave de Covid-19. O porta-voz da equipe médica da Casa Branca, Sean Conley, anunciou que Trump deve receber alta nesta segunda-feira, 5, e que “altos e baixos” fazem parte do processo de recuperação “como qualquer outra doença”.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Veja impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 39,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.