Clique e assine a partir de 9,90/mês

Trump conversa com CIA sobre conclusão no caso de jornalista saudita

Em investigação, agência concluiu que o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, foi o mandante do assassinato de Khashoggi

Por Reuters - Atualizado em 17 nov 2018, 18h56 - Publicado em 17 nov 2018, 14h42

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou neste sábado, 17, com a chefe da CIA (Agência Central de Inteligência) sobre a conclusão da agência de espionagem em relação ao assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, do jornal americano Washington Post.

Segundo a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, Trump telefonou para a diretora da CIA, Gina Haspel, e para o Secretário de Estado, Mike Pompeo, enquanto voava rumo à Califórnia. Sanders limitou-se a comentar que o presidente norte-americano confia na agência de espionagem e não forneceu mais detalhes.

Ontem, segundo o jornal Washington Post, a CIA concluiu que o assassinato de Khashoggi foi realizado sob as ordens do príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, um aliado próximo de Trump.

Neste sábado, antes de voar para a Califórnia, que passa por incêndios com mais de 1.000 desaparecidos e 74 mortos, Trump afirmou que a Arábia Saudita é uma “ótima aliada”. “Verdadeiramente espetacular em termos de empregos e desenvolvimento econômico (…) Fomos informados que ele (o príncipe saudita) não desempenhou nenhum papel, teremos que descobrir o que eles dizem”, disse.

Até agora, Donald Trump tem evitado culpar o príncipe herdeiro pelo assassinato.

Crítico do presidente saudita, Jamal Khashoggi foi morto em outubro no consulado da Arábia Saudita em Istambul, na Turquia. Ele havia ido ao consulado pegar documentos para o seu casamento. Segundo assessores do governo turco, o corpo do jornalista foi desmembrado e dissolvido.

Continua após a publicidade
Publicidade