Clique e Assine por somente R$ 2,50/semana

Trump conversa com CIA sobre conclusão no caso de jornalista saudita

Em investigação, agência concluiu que o príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, foi o mandante do assassinato de Khashoggi

Por Reuters Atualizado em 17 nov 2018, 18h56 - Publicado em 17 nov 2018, 14h42

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, conversou neste sábado, 17, com a chefe da CIA (Agência Central de Inteligência) sobre a conclusão da agência de espionagem em relação ao assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, do jornal americano Washington Post.

Segundo a porta-voz da Casa Branca, Sarah Huckabee Sanders, Trump telefonou para a diretora da CIA, Gina Haspel, e para o Secretário de Estado, Mike Pompeo, enquanto voava rumo à Califórnia. Sanders limitou-se a comentar que o presidente norte-americano confia na agência de espionagem e não forneceu mais detalhes.

Ontem, segundo o jornal Washington Post, a CIA concluiu que o assassinato de Khashoggi foi realizado sob as ordens do príncipe herdeiro saudita, Mohammed bin Salman, um aliado próximo de Trump.

Neste sábado, antes de voar para a Califórnia, que passa por incêndios com mais de 1.000 desaparecidos e 74 mortos, Trump afirmou que a Arábia Saudita é uma “ótima aliada”. “Verdadeiramente espetacular em termos de empregos e desenvolvimento econômico (…) Fomos informados que ele (o príncipe saudita) não desempenhou nenhum papel, teremos que descobrir o que eles dizem”, disse.

Até agora, Donald Trump tem evitado culpar o príncipe herdeiro pelo assassinato.

  • Crítico do presidente saudita, Jamal Khashoggi foi morto em outubro no consulado da Arábia Saudita em Istambul, na Turquia. Ele havia ido ao consulado pegar documentos para o seu casamento. Segundo assessores do governo turco, o corpo do jornalista foi desmembrado e dissolvido.

    Continua após a publicidade
    Publicidade