Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump compra nova briga comercial; agora contra Merkel

A chanceler alemã, Angela Merkel, declarou que o valor do euro é responsabilidade exclusiva do Banco Central Europeu (BCE), que tem autonomia

O governo Donald Trump abriu uma nova frente de batalha, nesta terça-feira, ao acusar a Alemanha, da chanceler Angela Merkel, de aproveitar a depreciação do euro para ter vantagens comerciais. O presidente do novo Conselho Nacional de Comércio da Casa Branca, Peter Navarro, disse ao jornal Financial Times (FT) que a Alemanha “continua explorando outros países da UE e dos Estados Unidos com um ‘implícito marco alemão’ (a antiga moeda alemã) que está muito subvalorizado”.

Pouco depois, o próprio Trump afirmou que os Estados Unidos deveriam usar a desvalorização da moeda como ferramenta comercial. “Nosso país maneja tão mal que não sabemos nada sobre desvalorização”, disse o mandatário a executivos do setor farmacêutico recebidos na Casa Branca. “Vejam o que a China faz e o que o Japão vem fazendo há anos e advertem que jogam moeda no mercado e a desvalorização, enquanto nós estamos sentados como bobos”, acrescentou.

Em sua campanha eleitoral, Trump ameaçou várias vezes tomar medidas contra a China, acusada de manipular sua moeda para poder produzir e exportar mais do que seus competidores. Durante anos, a China foi acusada de intervir nos mercados cambiais e comprar bilhões de dólares em títulos do Tesouro dos Estados Unidos para, assim, desvalorizar sua moeda. Segundo os economistas, isso mudou nos últimos anos, porém, porque as condições econômicas desvalorizaram o iuane, e o Banco Central da China precisou intervir várias vezes para evitar que a moeda se desvalorize ainda mais.

‘Sérios riscos’ ao comércio — As críticas à Alemanha não são novas. O país tem grandes superávits comerciais e de conta corrente e até o Fundo Monetário Internacional (FMI) pediu a Berlim que gaste mais para estimular o fraco consumo e o crescimento da União Europeia.

A Alemanha é uma potência exportadora e tem vantagens por integrar a zona do euro, onde o valor da moeda única é mantido muito baixo, devido às dificuldades de vários de seus países-membros, como Grécia e Itália. Se a Alemanha estivesse fora da união monetária, o valor de sua moeda nacional (o marco alemão) seria mais alto e, em consequência, seria menos competitiva no comércio mundial.

No entanto, é raro que essas divergências apareçam nos jornais, ficando restritas aos encontros a portas fechadas. Em Estocolmo, a chanceler alemã, Angela Merkel, declarou que o valor do euro é responsabilidade exclusiva do Banco Central Europeu (BCE), que tem autonomia. “Não temos influência nas decisões do BCE. De modo que eu não posso, nem quero mudar nada”, completou Merkel.

(Com agência France-Presse)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Eliane Moura

    A frau Merkel é que não dura um ano. MAGA!!!

    Curtir

  2. Valmir da Silva do Vale

    My dear president Trump! Hahahahaha

    Curtir

  3. Aldir Calazans

    Trump está certo. Podem criticá-lo o quanto quiser. É melhor do que o Muçulmano Obama. Infelizmente o que manda no mundo é p dinheiro

    Curtir

  4. Ninguém vai barrar importações, só desvalorizar a própria moeda. Brasil não pode barrar produtos da China, seu principal cliente nas commodities. Trump é de esquerda! Vai acabar com a GLOBALIZAÇÃO! Lembrem como as esquerdas berravam contra a Globalização.

    Curtir

  5. célio alvarenga marques

    merkel é o que dump trump nunca conseguirá ser:um líder conservador respeitado internacionalmente(e também por seu povo)!

    Curtir

  6. Robson La Luna Di Cola

    Juliano Arm-lock – Juoliano, você é o segundo brasileiro que percebeu o óbvio: o Brasil precisa modificar o PERFIL de sua economia. Aumentar sua produtividade, que é baixa. Sofisticar sua indústria com alta tecnologia. Mais investimentos em Pesquisa&Desenvolvimento. Precisamos parar de vender minério de ferro à preço de banana e comprar equipamentos de ressonância magnética à peso de ouro.
    PS: quem foi o primeiro? Eu!

    Curtir

  7. Trump tem toda razão e meu apoio neste assunto. O cara entende de economia. Senão, não seria um cara tão rico – de maneira legal.

    Curtir