Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Trump cancela tradicional festa de Natal para a imprensa

Evento era realizado pela Casa Branca há décadas; não houve comunicado oficial da presidência sobre motivos da decisão

Donald Trump cancelou a festa de Natal da Casa Branca organizada para a imprensa. A tradição, estabelecida há décadas, é mais uma vítima da relação conflituosa do presidente americano com as grandes empresas de comunicação.

A reunião anual era um presente aos jornalistas que cobrem a residência oficial, e incluia também outros repórteres de Washington, âncoras e comentaristas políticos, além de executivos dos veículos em Nova York, que viajavam para a ocasião. Nos últimos anos, graças ao crescimento do evento, ele foi dividido em dois, um para mídia impressa e outro para a televisionada.

O presidente e a primeira dama ficavam disponíveis para fotografias com os profissionais, que podiam levar um acompanhante. Segundo o protocolo, o casal ainda trocaria algumas palavras com cada um de seus convidados, em frente a uma árvore de Natal, com a foto sendo enviada depois por uma equipe da Casa Branca.

A atividade costumava durar por algumas horas, com filas preenchendo o primeiro andar do evento.

Em 2017, Donald e Melania Trump já não haviam posado para fotos, se limitando a uma rápida aparição, cumprimentando alguns dos convidados.

Autoridades de alto-escalão do governo, especialmente ligadas a comunicação, também compareciam a festa para falar de seu trabalho. No último ano, o chefe de estado John Kelly conversou com diversos repórteres por pelo menos 15 minutos, fazendo comentários informais que se transformaram em uma pequena coletiva de imprensa.

Os constantes ataques de Trump sobre supostas “fake news”, e o teor negativo da cobertura sobre sua administração, fazem a decisão ser pouco surpreendente. Nas últimas semanas, o presidente retirou as credenciais do correspondente da CNN, Jim Acosta, depois que ele se recusou a sair do microfone em uma conferência.

A rede abriu um processo judicial e a Casa Branca reestabeleceu o passe de Acosta.

Por duas vezes, o líder americano também se recusou a comparecer ao jantar de correspondentes da Casa Branca,  considerado uma celebração da liberdade de imprensa. A ausência foi a primeira de um presidente em 36 anos.

Apesar de ter cancelado a festa exclusiva, a Casa Branca ainda organiza outras festas de final de ano. Jornalistas favoráveis a Trump, como apresentadores da Fox News, estão entre seus convidados.